fevereiro 2010


O São Paulo voltou a vencer no Paulistinha e subiu para a quarta posição na competição.

O adversário foi o fraco Monte Azul que não ofereceu resistência e foi goleado por 5 a 1.

O nome do jogo foi o atacante Fernandinho que fez sua estréia no segundo tempo e em 40 minutos marcou 4 gols.
Ricardo Gomes e Milton Cruz terão daqui para frente todos os reforços a disposição.

A volta de Dagoberto e a entrada de Fernandinho deram ao ataque do São Paulo a rapidez que faltou até agora.

Ainda é cedo para dizer que Fernandinho é a solução dos problemas, mas sem duvida o jogador mostrou que tem estrela e personalidade de sobra.

Na Vila Belmiro, o Santos voltou a jogar bem e venceu mais um clássico no Paulistinha.

A vitima da vez foi o arquirival Corinthians.

Neymar perdeu pênalti, mas, se redimiu ainda no primeiro tempo com um belo gol.

Na segunda etapa André ampliou e Dentinho diminuiu.

O Santos mostrou toda sua ousadia, seus meninos não se intimidaram com as ameaças e pancadas dos zagueiros Corintianos e foram decisivos para mais uma vitória.

As expulsões de Moacir e Roberto Carlos (segunda na competição) facilitaram as coisas para os comandados de Dorival Junior.

No sul o Grêmio venceu o Novo Hamburgo por 1 a 0 e levou o primeiro turno.

Nenhuma novidade quanto ao campeão, de se estranhar apenas a ausência do Inter na final.

E você amigo leitor, o que achou da rodada do final de semana?

Deixe sua opinião.

O técnico do São Paulo Ricardo Gomes concedeu sua primeira entrevista coletiva após a alteração vascular cerebral que o deixou internado por 3 dias.

Acompanhe os principais trechos da coletiva aqui no blog.

P – Fale um pouco do que aconteceu e como esta se sentindo neste momento?

RG – Em primeiro lugar gostaria de agradecer o corpo médico do Hospital São Luiz e os médicos do São Paulo.

Eu sinceramente sempre me senti muito bem, depois do jogo contra o Palmeiras reclamei um pouco de um incomodo na nuca achei que era a coluna.

A partir daí foram vários exames, me viraram do avesso e está tudo bem.

O prazo de 3 a 4 semanas afastado, até quarta-feira não será modificado.

Pode ser modificado a partir de quarta-feira.

Foi muito bom receber o apoio e o carinho de tanta gente.

Espero que na quarta-feira possa estar completamente liberado, por enquanto apenas acompanho o time, não vou para campo.

P – Os médicos recomendaram repouso absoluto e na medida do possível nem assistir aos jogos, isso é um pedido impossível de ser feito a você?

RG – Não é bem assim. Tem a primeira orientação dada logo que você chega e depois as orientações vão mudando.
Esta orientação de não assistir a partida foi feita na segunda-feira, depois caiu.

Conversei com os médicos ontem e falamos sobre o jogo de quinta, então não tem problema nenhum.

Se eu fosse hipertenso ai sim seria um problema mais grave, o que não é o caso, então não corro nenhum risco.
Que fique bem claro que não senti nada desde o jogo contra o Palmeiras.

No hospital fiquei andando, conversando durante todo o tempo.

P – Como vai funcionar a logística entre você e o Milton Cruz?

RG – Inverteu. Normalmente o Milton ficava lá em cima dando os toques pelo rádio, agora inverteu só isso.

P – O que achou do jogo contra o Once Caldas?

RG – Achei que a equipe disputou um primeiro tempo muito bom, depois o time abriu um pouco e perdeu o domínio que era completo, nós temos que corrigir isso, nosso meio de campo abriu e as falhas vieram daí, esse foi o ponto negativo.

P – Como foi assistir ao jogo como um torcedor?

RG – É muito pior! Já estava analisando a partida e no dia seguinte já vim para cá como se estivesse feito o trabalho, já vi o vídeo.

O nervosismo é grande! Quanto você está distante você vai perdendo informações, como foi o dia do jogador, como o cara esta como acordou, o que comeu e esta ligação direta é muito importante.

É muito melhor ficar na beira do campo, não tenho a menor duvida!

P – Você vai a Arena Barueri neste domingo?

RG – Vou acompanhar a equipe sim, claro! Só não vou ficar no campo, mas vou estar no estádio.

P – Nós costumamos dizer que nas adversidades da vida tiramos valiosas lições, o que você tirou de tudo isso que passou?

RG – Estamos sempre aprendendo, claro, eu aprendi que tenho que me cuidar né, emagrecer um pouquinho mais, eu não fumo, não cometo exageros, mas posso emagrecer um pouquinho mais para ficar mais legal!

Essa é a lição que aprendi.

P – O corpo médico já descobriu a causa do seu AVC, pode ter sido por nervosismo?

RG – Vamos esperar, até então estamos eliminando várias hipóteses, vamos ver o que diz os exames da quarta-feira.

Eu não estou sentindo nada!

Se eu estivesse me sentindo mal, com dor de cabeça, eu estaria preocupado.

Eu não tenho nenhum tipo de preocupação, tenho dois filhos lindos que adoro e sou feliz, não tenho nada, absolutamente nada!

P – Então sua expectativa é voltar ao trabalho já na quinta-feira?

RG – Minha expectativa era voltar ontem!

Aliás,ontem não,terça-feira!

P – Até os exames de quarta-feira, você vai continuar vindo no CCT?

RG – Todos os dias!

Eu só não vou fazer o treino na beira do gramado, mas estarei todos os dias aqui, das oito as oito!

Entrevistei Milton Cruz no Jornal de Esportes da Jovem Pan desta sexta-feira.

Milton estava se preparando para a maratona de 13 horas para voltar a São Paulo.

Segundo o técnico interino o time foi bem contra o Once Caldas.

Mostrou muita garra e disposição e acabou perdendo por falta de atenção nos dois gols sofridos.

A substituição de Marcelinho por Rodrigo Souto foi feita para corrigir a marcação no meio campo e liberar Hernanes para jogar mais encostado em Washington.

Segundo Milton Cruz, a substituição surtiu o efeito desejado, embora a equipe não tenha conseguido o empate.

Certo mesmo é que com a derrota para o Once Caldas, o São Paulo fica agora com a obrigação de vencer o Nacional do Paraguai no próximo dia 11 de Março em Assunção.

Para o jogo de domingo contra o Monte Azul em Barueri, Milton Cruz deve levar a campo uma equipe mista.

Ricardo Gomes vai conceder neste sábado no CCT, sua primeira entrevista coletiva após a Alteração Vascular Cerebral que causou sua internação e afastamento.

O treinador vai passar por novos exames na próxima quarta-feira e dependendo dos resultados pode até antecipar sua volta ao trabalho.

Fernandinho pode fazer sua estréia neste domingo contra o Monte Azul, o jogador ficou a semana inteira aprimorando a forma física e a operação feita no dedinho de seu pé direito já não incomoda mais.

Outro que pode estrear contra o Monte Azul é o lateral esquerdo Carleto.

Dagoberto, já recuperado de uma distensão muscular pode reaparecer no ataque tricolor.

Depois de Metallica, Beyoncé e Cold Play, o São Paulo fechou contrato com a Cantora Lady Gaga, que fará um show no Morumbi mês de Julho.

U2 e Paul McCartney são outros que podem pintar ainda neste ano no Morumbi.

Deixe seu comentário sobre os jogos desta ultima quinta-feira, tanto da Libertadores como da Copa do Brasil.

Abraços.

Marcello Lima.

A taça Libertadores titulo mais cobiçado pelos clubes Sul Americanos, começa efetivamente para todas as equipes Brasileiras nesta quarta-feira.

Pelo grupo 1, o Corinthians começa sua caminhada jogando contra o Racing do Uruguai no Pacaembu.

Nunca a diretoria e a comissão técnica fizeram um planejamento tão minucioso para a competição.

Desde contratações até a logística de viagem, tudo foi discutido e feito com critérios técnicos.

A pressão pelo titulo da Libertadores no ano de seu centenário, pode atrapalhar a equipe.

Ronaldo, Roberto Carlos, Tcheco e Danilo são os veteranos que vão tentar controlar a pressão e a ansiedade dentro do grupo de jogadores.

O Racing Uruguaio, não deve facilitar as coisas, fazendo valer o futebol de força e muita marcação.

Em minha opinião o Corinthians é o favorito e se souber domar o nervosismo da estréia, sai do Pacaembu com uma vitória.

Sempre lembrando que Cerro Porteño e Independiente de Medelin empataram em 1 gol no jogo inaugural do grupo.
O Flamengo entra na competição com o status de atual campeão Brasileiro.

Joga em sua estréia contra a Universidad Católica.

O principal desafio de Andrade e Companhia é conter o oba-oba que cerca o Flamengo em competições importantes.

Foi exatamente pela falta de concentração que o rubro-negro sofreu uma das mais humilhantes desclassificações em sua história na competição, os 3 x 0 para América do México, com direito a show do gordinho Cabañas.

Time e elenco para ir longe, o Flamengo tem.

Seu ataque é sem duvida um dos melhores do País.

Como a Universidad do Chile venceu o Caracas na outra partida do grupo, é fundamental a vitória no jogo de hoje.

Em Belo Horizonte o Cruzeiro tenta a reabilitação após a derrota por 2 a 0 para o Velez Sarsfield em sua estréia.

Na teoria o Colo Colo não será páreo para a Raposa.

Mas, o Cruzeiro sabe mais do que ninguém que não há adversário bobo na competição, mesmo jogando em casa tem que suar sangue para vencer.

O Velez venceu o Deportivo Itália e lidera o grupo 7 com 6 pontos ganhos.

Até por isso, o Cruzeiro sabe que um empate hoje no Mineirão será desastroso.

Acredito que o time de Adilson Batista sairá com os 3 pontos na conta.

Ontem no Beira Rio, o Internacional por muito pouco não foi surpreendido pelo Emelec.

O time de Jorge Fossati, frustrando as expectativas, não mostrou um bom futebol e teve que recorrer à garra, à vontade para não deixar o Beira Rio com um empate.

Mas na Libertadores o importante não é jogar bem, a regra básica é conquistar os 3 pontos em casa e conseguir o maior numero possível de pontos como visitante.

Foi isso que o Inter fez, não agradou, mas saiu vencedor.

Enquanto isso, o São Paulo se prepara para sua segunda partida na competição, na cidade de Pereira, 40 km distante de Manizalez, casa do Once Caldas.

A delegação demorou 13 horas para chegar á Pereira.

Hoje o São Paulo treina no estádio Palo Alto, local do jogo de amanhã.

Milton Cruz não deve fazer muitas alterações na equipe.

O 4-4-2 deve ser adotado pelo técnico Interino.

A provável formação para o jogo entre os lideres do grupo 2 é a seguinte:

Rogério Ceni, Cicinho, Xandão, Miranda e Jorge Wagner, Jean, Richarlyson, Hernanes e Cleber Santana, Marcelinho e Washington.

O São Paulo não guarda boas recordações do Once Caldas.

Um empate na Colômbia não poderá ser considerado um mal resultado.

Conversei com o vice-presidente de Comunicação e Marketing do São Paulo, Julio Casares.

Acompanhe a entrevista feita com o dirigente tricolor.

P – O presidente Juvenal Juvêncio nos disse que teremos uma surpresa com o novo patrocinador, o valor será maior do que os 30 milhões desejados pelo clube, o que o senhor pode falar sobre isso?

JC – É uma expectativa nossa e do presidente também. O São Paulo não tem nenhuma pressa e estamos valorizando ao máximo os espaços da camisa e das propriedades.

O São Paulo pretende elaborar em março um workshop, onde vamos fazer um evento fechado para convidados de segmentos de varejo, Financeiro, automotivo e de telecomunicações.

Os levaremos a conhecer o que vale a propriedade do São Paulo e o que ela dá de retorno e ai sim começar uma negociação.

Nós já temos algumas sondagens positivas, mas acreditamos muito nesse evento, que é um evento profissional.

P – Fiquei sabendo que duas empresas estão mais próximas de um acordo com o São Paulo, é verdade?

JC – É difícil você afirmar que está próximo porque depende de variantes, as conversas ainda são preliminares, e sabemos que na hora de confirmar, existem alguns recuos, existem várias pendências, então o momento é de muita cautela.

Eu acredito muito nesse evento do workshop, mas é claro que até lá pode acontecer.

Existem conversas, existe muita procura, mas o São Paulo está com muita tranqüilidade até porque até o dia 2 de Março, nós temos uma preferência ao atual patrocinador, que mesmo não estando mais na camisa tem uma quarentena.

P – O São Paulo pretende pelo menos 30 milhões pelo patrocínio Máster da camisa e quanto vale as mangas?

JC – A nossa conta é um terço disso, então trabalhamos com 30 mais 10.

Claro que esse valor pode ter um ajuste para cima ou para baixo, tem ajuste de propriedade, hoje a empresa vem para o estádio e faz um investimento no São Paulo ela põe dinheiro em obras no São Paulo e trás ativos ao clube.

P – Sobre a reforma do Morumbi para a Copa, como está a captação de dinheiro da iniciativa privada, já que uma parte do dinheiro virá de empréstimo junto ao BNDES?

JC – Existe, nós estamos conversando com dois parceiros, que seriam dois grandes cotistas e junto com o recurso do BNDES formarão o aporte necessário para que façamos a adaptação e reformas do estádio.

É um tema difícil porque ele é polemico, tem declaração ali, declaração aqui, posição de interesse da abertura da Copa em outros estados, mas temos que saber conviver com isso.

O que eu falo aqui dentro do São Paulo: temos que fazer a lição de casa.

A cada dia que você entra no estádio tem uma novidade.

Será inaugurada a Academia, depois virá a construção do Buffet Infantil e assim por diante.

Porque as grandes empresas como VISA, Nestlé, quando vem para cá, vem com a obrigação de cuidar de um pedacinho do estádio.

E assim vamos eliminando algumas obrigações da FIFA.

O importante é que não perdemos tempo, temos vários estados que ainda não fizeram absolutamente nada e o São Paulo já deu o pontapé inicial!

P – Declarações como a do secretário geral da FIFA, Jerome Valcke, não dificultam a captação de recursos, de novos investidores e parceiros?

JC – Realmente é sempre um fato negativo, mas temos que entender que a FIFA tem que ser exigente mesmo, talvez isso seja recado até para outras praças, porque se o Morumbi que está fazendo a lição de casa é só candidato as oitavas de final, imagine as outras praças então!

Temos que aceitar a critica com tranqüilidade, ele é um dirigente importante da FIFA.

O que interessa é o São Paulo não focar estas declarações e fazer a lição de casa, trabalhando junto com os empresários que são cotistas e que estão aqui participando de cada movimento do estádio do Morumbi.

Não tenho duvidas que vamos superar as criticas, vamos crescer e vamos ter o estádio da abertura da Copa.

Não dá para admitirmos uma abertura de Copa do Mundo fora da capital de São Paulo.

Pela estrutura hoteleira, do transporte publico, da comunicação, dos aeroportos, enfim, de todos os aspectos que a tecnologia e o desenvolvimento econômico sinalizam por uma envergadura que é uma abertura de Copa do Mundo.
Não tenho duvida de que o Morumbi será esse palco.

Entregaremos relatórios a cada dois meses para a FIFA, mostrando que vamos atender a todas as exigências.

Quando a FIFA fizer mais uma exigência, não vamos questionar, vamos atender.

E para isso estamos caminhando.

Se antigamente dizíamos que o Morumbi era inviável para a Copa e hoje já falamos em jogos de oitavas de final e até em semifinal, significa que os degraus estão sendo subidos e vamos subir mais.

Se tudo correr bem, já em Setembro teremos toda a questão financeira alinhavada!

P – Isso significa que o projeto apresentado recentemente pelo São Paulo em Zurique está longe de ser o projeto final do estádio?

JC – Ele é o projeto básico, e como todo projeto ele vai sofrer ajustes, realinhamentos como dizemos.

Os nossos engenheiros e a própria GPM está preparada para fazer estes ajustes.

O importante é que o governo Federal, Estadual e Municipal, já liberou uma verba de 34 bilhões de reais para as obras de infra-estrutura viabilizando a acessibilidade ao estádio do Morumbi, através da linha de Metrô, da linha de um viário elevado do Aeroporto até o estádio, da construção das perimetrais e abertura de grandes avenidas, deixando o Morumbi apto a receber grandes eventos, como já acontece hoje em dia com os shows realizados no local e como acontecerá com a abertura da Copa do Mundo.

Nesta ultima segunda-feira após evento de apresentação da parceria entre São Paulo e Nestlé, Juvenal Juvêncio, presidente Tricolor, conversou com a imprensa.

Acompanhe a entrevista concedida pelo mandatário São Paulino.

P – Ricardo Gomes vai ficar afastado por 4 semanas, é muito tempo ou dá para contornar a situação?

JJ – Tá de bom tamanho acredito que o Milton Cruz possa se sair muito bem, ambos tem o mesmo diapasão a mesma disciplina.

P – O Ministro dos Esportes, Orlando Silva Junior, disse em seu discurso no evento realizado, que o Estádio do Morumbi está se modernizando rumo à abertura da Copa do Mundo de 2014, contradizendo o secretário Geral da FIFA, Jerome Valcke, quem está com a razão?

JJ – (Risos)O que temos que pensar sempre é o seguinte: é possível pensar em uma copa do Mundo no Brasil sem São Paulo? Os governos Federal, estadual e Municipal, estão investindo 3 bilhões e 170 milhões em infra estrutura na cidade, é uma coisa muito séria! Como São Paulo não pode ficar fora e esta é a grande arena deste processo, nós vamos chegar!

Vai haver na vida este ou aquele que não goste muito, mas o tempo é o senhor da razão, gente que não gosta hoje, amanhã gostará!

Este é o caminho mais certo, o caminho da razão!

P – Qual o grau de satisfação da diretoria com o futebol apresentado pelo time neste começo de ano?

JJ – Eu tenho autocrítica, eu sei quando joga bem, quando joga mal, eu não digo besteira a vocês da imprensa!
Ontem me reuni com os atletas e disse a eles que até agora nós não apresentamos aquilo que a expectativa lá fora nos espera!

Mas temos que entender como uma coisa de pré-temporada, qualquer preparação lá fora se faz com 30,45 dias e nós fizemos em 9 dias, isso não dá!

Nós trouxemos atletas que estavam lesionados. Voltam depois de amanhã?

Não, não é assim! Isso é um processo técnico e científico que nós precisamos respeitar!

Eu disse a eles que se tivermos sucesso na Colômbia, nós vamos voltar com mais alegria no Paulista, vamos chegar entre os quatro e vamos ganhar este negócio!

Nossa pré-temporada está passando. Fomos bem até agora? Não, não fomos!

Mas vamos melhorar, temos competência, os atletas são bons!

Sei que tem gente que reclama, que contrato com pouco, mas a regra é para todos os dirigentes, está ai no mercado!

O Fernandão não dá para vir, porque ele quer tanto, o Goiás quer outro tanto, não dou, não sou maluco!

Eu preciso pagar conta, eu preciso fechar o balanço, manter este estádio, manter as glórias, a dignidade e a decência deste clube, por respeito ao seu torcedor!

O que é o futebol senão a paixão!

Mas os dirigentes têm que agir com a razão e não com a paixão, e é o que nós fazemos!

Estamos jogando mal até agora, mas acredite, vamos melhorar!

P – O Corinthians estréia na Libertadores, o senhor acredita que ele seja o time Brasileiro mais badalado da competição?

JJ – Sem duvida! Mas precisa cautela, porque se amanhã este negócio não prosseguir, como é o comportamento? Se ele não for bem vai frustrar muita gente que está apostando nele.

P – Nos bastidores existe alguma conversa sobre o aluguel do Morumbi caso o Corinthians passe para a fase de mata-mata da Libertadores?

JJ – Eu não gosto de falar sobre isso não! Vocês têm que perguntar para o Andrés o que ele diz e, os senhores não vão me cobrar depois!

Eu estou com os recortes todos na minha mesa! E os senhores não vão me cobrar depois!

P – Qual a principal dificuldade para a não contratação do atacante Diogo?

JJ – Eu ofereci 200 mil Euros em um empréstimo de 6 meses, mas eles não querem, entrou um vice-presidente no meio e disse que quer 1 milhão de Euros por que eles o compraram por 9 milhões e no futuro podem vendê-lo por 20 milhões para o Chelsea.

O jogador quer jogar aqui, mas ficou difícil.

P – E sobre o lateral esquerdo Diogo que não se reapresentou mais ao clube?

JJ – Esse tá seqüestrado! Mas eu aprendi uma coisa que é o exercício da paciência!

Ele tem 3 anos e meio de contrato, se tiver que esperar um ano, ok, espero!

P – Para encerrar, o senhor acha possível conseguir um patrocínio na casa dos 30 milhões de reais, como sonha o departamento de Marketing?

JJ – Vamos passar de 30 milhões!

Vocês vão ter uma surpresa!

Só, que os nossos números serão verdadeiros!

Próxima Página »