outubro 2008


Neste domingo o Brasil pode viver um momento Histórico no automobilismo.

Pela primeira vez um Brasileiro pode ser campeão do mundo em Interlagos.

Eu, antes mesmo de pensar em ser Jornalista esportivo, ficava na fila em plena madrugada de Interlagos, para ver o gênio Ayrton Senna, tentar uma vitória em seu País.

Foram várias as corridas, em diferentes setores do Autódromo.

Vi de frente o japonês Satoro Nakajima, bater em Ayrton e acabar com as chances do Brasileiro de vencer o GP Brasil em 90 (se minha memória não me trai)

Vi sua primeira vitória em 91,quando levou sua Mclaren apenas com a sexta marcha.

Em 93  fui um dos que invadiu a pista na reta oposta, e carregou Ayrton nos ombros.

Em 94, estava entre os milhares de torcedores que deixaram o GP do Brasil, quando Senna Rodou na subida da reta e abandonou a corrida.

Nunca vou esquecer aquela fatídica manhã de domingo, primeiro de maio de 94,quando horas depois do acidente na corrida,meu pai entrou em prantos na sala e disse que ele havia morrido.

Confesso que perdi totalmente o tesão pela formula 1.

A era Michael Schumacher passou quase indiferente em minhas manhãs de domingo.

Neste ano Felipe Massa despertou novamente meu interesse pela fórmula 1.

Tomara que neste fim de semana, o nosso Ayrton Senna do Brasil, proteja e guie nosso Felipe Massa  até a vitória e até a inédita conquista de um campeonato no Brasil.

Pois você amigo internauta, pode ter absoluta certeza de que o maior sonho de Ayrton era conquistar um mundial no Brasil, diante de sua gente.

Neste Domingo, Felipe com certeza será guiado por suas mãos, às mãos do maior piloto que passou por este planeta.

Anúncios

Palpites da rodada:

Flamengo 2x0 Portuguesa

Náutico 1×1 Vitória

Ipatinga 1×3 Coritiba

Santos1 x1 Palmeiras

Atlético-PR 2x0 Sport

Goiás1 x0 Cruzeiro

Atlético-MG 1x1 Botafogo

São Paulo 2×0 Internacional

Fluminense2 x 1 Vasco

Grêmio2 x0 Figueirense

 

Foram vendidos até agora 25 mil e 100 ingressos para o jogo de domingo entre São Paulo e Internacional no Morumbi.

Em razão da grande procura por ingressos, as bilheterias do Morumbi abrirão às 9 horas da manhã neste sábado e domingo.

Ainda existem ingressos para todos os setores, mas o setor de arquibancadas deve acabar ainda neste sábado.

Segundo o setor de arrecadação do São Paulo, a tendência é de que tenhamos os 50 mil torcedores pedidos por Muricy.

Resta saber se a torcida São Paulina vai prestigiar o time até o final da competição ou não.

Para domingo, a casa estará cheia.

Dando uma olhada nos sites de esporte,encontrei esta matéria feita pelo jornalista William Correa para o site Gazeta Esportiva.net.

 

Realmente a guerra contra o São Paulo já começou,antes ignorado pelos adversários,agora incomodando a todos,que não querem ver uma equipe campeã  Brasileira por  três vezes consecutivas.

 

Leiam e tirem suas conclusões:

 

São Paulo (SP) – A vitória por 1 a 0 sobre o Goiás manteve o Palmeiras vivo na briga pelo título brasileiro, mas outro jogo da 32ª rodada do Brasileiro ainda tira alguns alviverdes do sério. O diretor de planejamento do clube e um dos economistas mais reconhecidos no Brasil, Luiz Gonzaga Belluzzo, procurou a GE.Net para manifestar sua irritação com o triunfo por 2 a 1 do São Paulo sobre o Botafogo nessa quarta-feira.

A indignação do dirigente reside no polêmico gol de Lucas aos 30 minutos do segundo tempo anulado pelo árbitro Sérgio da Silva Carvalho. O apitador viu participação de Wellington Paulista, que estava em posição de impedimento e levantou o pé antes de a bola ultrapassar Rogério Ceni.

Avaliando o arqui-rival como um clube que “pressiona” os árbitros, o cartola resolveu tornar pública a sua revolta contra o episódio. “Não queremos pressionar ninguém a nosso favor, isso não faz parte da tradição do meu grupo no Palmeiras. Mas, do jeito que está ocorrendo, se ficarmos quietos, a torcida do Palmeiras vai achar que somos ‘bananas’”, explicou, em entrevista por telefone.

A manifestação de Belluzzo tem uma razão: um suposto favorecimento ao Tricolor, que agora lidera a competição ao lado do Grêmio. Para justificar sua tese, o diretor lembra de um pênalti que Heber Roberto Lopes teria ignorado em Rodrigão no triunfo por 2 a 1 do time do Morumbi sobre o Vitória, na rodada anterior.

“Não quero levantar suspeita, não é o caso. Mas há uma sucessão de erros a favor do São Paulo. Os erros acontecem, mas, usando uma medida estatística, devem ter uma distribuição aleatória. O normal é errar e acertar na mesma proporção, e agora está tudo muito concentrado em uma causa”, acusou, dizendo estar protestando indiretamente também em nome dos outros concorrentes ao título nacional.

“O problema é que o prejuízo de Palmeiras, Cruzeiro e Grêmio é brutal. Distorce o resultado de um jogo e a classificação. No fundo, todos perderam dois pontos porque o árbitro cometeu um erro primário, elementar. São dois erros cruciais e fatais em dois jogos decisivos”, continuou.

Apesar de sua indignação, Belluzzo admite que o São Paulo já foi prejudicado neste Brasileiro na derrota por 1 a 0 para o Grêmio no Olímpico, quando Perea marcou o gol em posição irregular. Mesmo assim, ainda vê vantagem a favor do Tricolor paulista. “Se fizer a lista dos jogos em que o São Paulo foi beneficiado, o Grêmio perde. Na minha conta, nos últimos tempos, está 2 a 1”.

E nas contas do palmeirense constam outras partidas em que os são-paulinos se deram melhor por erros de arbitragem, como na primeira semifinal do Paulista deste ano, quando o então tricolor Adriano assinalou um gol com a mão. Na opinião do dirigente alviverde, tudo faz parte de uma prática comum no arqui-rival.

“O problema no futebol não é suborno. Isso até pode acontecer, mas o ruim é criar um ambiente em que o juiz fica constrangido, com medo de errar contra você”, comentou. “Quando indicaram o Sálvio (Spinola Filho) para apitar o último clássico, foi um Deus nos acuda. O Marco Aurélio Cunha (superintendente de futebol são-paulino) ficou a semana inteira em cima do juiz, que entrou em campo bambeando as pernas, perdidinho”, recordou Belluzzo, frisando, no entanto, que suas reclamações não têm a mesma intenção dos são-paulinos. “Ninguém nunca ouviu algum de nós reclamar como eles fazem”.

Um árbitro “pobre diabo” – Juntamente com a contestação à anulação do gol de Lucas, Luiz Gonzaga Belluzzo aumentou sua reprovação às arbitragens de Sérgio da Silva Carvalho. O Palmeiras já havia protestado formalmente contra o apitador após sua atuação na derrota por 1 a 0 para o Paraná no Brasileiro de 2007 e o novo “equívoco” valeu mais criticas ao representante do Distrito Federal.

“Ele é um pobre diabo. Deveria estar como gandula, não como juiz. Você vê claramente que ele é fraco. O Rogério Ceni foi lá todo ‘empetecado’, deu uma peitada e deixou ele deste tamanhinho, ficou todo abalado. Fico até com pena, ele não tem personalidade para ser o juiz em um jogo desta circunstância”, reclamou o diretor.

O que irrita ainda mais o cartola é o fato de o mesmo Sérgio da Silva Carvalho ter trabalhado na derrota palmeirense por 3 a 0 para o Fluminense, no sábado, quando Washington enganou Marcos fingindo que desviaria uma cobrança de falta com a mão no gol marcado por Carlinhos.

“O lance do Botafogo não é a mesma coisa do lance do Washington. A regra é omissa, mas acho que aquilo é um gesto antidesportivo e já vi muito juiz marcar tiro indireto e até punir com cartão vermelho quem tentou usar a mão. Se fosse um outro árbitro de maior personalidade, como o (Carlos Eugenio) Simon, por exemplo, certamente veria o lance de outra maneira, mas ele (Sérgio da Silva Carvalho) é um pobrezinho”, repetiu, admitindo, porém, que a jogada de sábado é “controversa”.

De qualquer maneira, Belluzzo cobra árbitros com mais “personalidade” nos jogos do Verdão. “Só queremos que o Sérgio Corrêa (presidente da Comissão Nacional de Arbitragem) tome cuidado e tenha sorte. A diferença de um time para o outro é de um ponto e qualquer distorção acaba decidindo. Temos seis jogos. Se o Palmeiras perder legitimamente, é do futebol. Agora, se perder porque os árbitros entregaram dois resultados, não é bom para o futebol”, concluiu.

 

A julgar pelo movimento nas bilheterias da capital paulista, no dia de hoje, o jogo entre São Paulo x Inter, no próximo domingo, tem tudo para ter casa cheia. Foram comercializados 15.200 ingressos, quase o público da última partida no Morumbi, contra o Vitória/BA, numa quinta-feira chuvosa.
 
A vitória do São Paulo contra o Botafogo e a derrota do líder Grêmio, contra o Cruzeiro, colocaram o tricolor paulista ao lado dos gaúchos, que têm uma vitória a mais.
 
Torcedores que já haviam adquirido seu ingresso para o jogo de domingo confidenciaram que não tiveram qualquer problema ou demora durante a compra, que levou em média 5 minutos.
 
Não é o que podemos ver na foto tirada hoje, por volta das 11:30, ou seja, meia hora após a abertura das bilheterias do Canindé. A fila tinha cerca de 50 pessoas e à medida em que essas compravam seu ingresso novas pessoas mantinham a mesma média. O fato se repetia dos demais postos de venda espalhados pela cidade, segundo informações de outros torcedores.
 
O pedido do técnico Muricy Ramalho e de todo o elenco parece que finalmente será atendido, apesar de concordar com o Marcello Lima e achar vergonhoso que a maioria só vá mesmo na boa.
Resta saber se o comportamento será o mesmo para as demais partidas e se essa nova geração, mesmo acomodada, verá in loco o São Paulo comemorar o inédito tri.

Por: Carlos Fabiano de Souza 
 
 

 

 

 

O São Paulino parece que resolveu se mexer e apoiar a equipe no campeonato Brasileiro.

Já foram vendidos de forma antecipada 15 mil e 200 ingressos.

Segundo o setor de arrecadação, a expectativa é de que tenhamos pelo menos 40 mil pessoas no Morumbi neste domingo, no jogo contra o Internacional.

Após o fechamento das bilheterias nesta sexta-feira, poderemos ter uma noção melhor, do publico que estará presente no Morumbi.

De qualquer forma, fica bem claro que a torcida, estará presente em um numero muito maior do que a média do São Paulo na competição (13 mil).

A equipe do São Paulo desembarcou na tarde desta quinta-feira em congonhas, após a vitória contra o Botafogo no Engenhão.

Um carcará de bico afiado me disse que a mala branca estava pronta para ser usada, em caso de vitória do Fogão.

Alguns atletas do Botafogo, em conversa com os jogadores do São Paulo, confirmaram que Grêmio e Palmeiras, dariam um “incentivo” para o Botafogo, caso vencesse a partida e brecasse a reação do São Paulo na competição.

Segundo me disse o carcará de bico afiado, o clube Gaucho daria cerca de 50 mil reais para os jogadores cariocas ratearem.

Já o Palmeiras teria oferecido 10 mil reais a cada atleta, em caso de vitória.

Essa informação não me surpreendeu, a mala branca é usada há décadas no futebol.

Nesta fase final do Brasileirão, com o equilíbrio apresentado até agora, nada mais comum, que as equipes da parte de cima da tabela, ofereçam um incentivo financeiro para as equipes que não aspiram mais nada, para complicar determinado adversário direto.

Ainda mais quando está equipe, esta há três meses sem pagar o salário de seus atletas.

De qualquer forma, com o resultado da partida, as malas devem ter sido guardadas no cofre, para ser utilizadas em outra ocasião.

Próxima Página »