Todos esperavam mais uma vitória do Santos no Pacaembu para coroar o titulo do Paulistinha.

 O Santo André seria apenas um esforçado coadjuvante numa tarde de domingo.

Mas o futebol mostra que a história se escreve dentro do campo e não fora dele.

O Ramalhão logo aos 30 segundos deu o tom do que seria o jogo final, com o gol de Nunes.

Neymar marcou, mas, o empate não foi suficiente para esfriar os ânimos e a vontade do time do ABC.

O arbitro Sálvio Spinola, como sempre, tratou de aparecer ao expulsar Leo e Nunes por uma discussão normal de jogo.

O Ramalhão foi para cima e marcou o segundo com Alê.

Neymar mais uma vez deixou tudo igual.

Marquinhos em um momento “anta” deu uma entrada criminosa em Branquinho e também foi expulso.

Ainda no primeiro tempo Branquinho deixou o Ramalhão mais uma vez na frente do placar.

A segunda etapa foi equilibrada, até Roberto Brum brecar um contra-ataque do adversário e receber o vermelho.

Com apenas 8 jogadores em campo, o Santos viveu seus 10 minutos mais dramáticos dos últimos tempos, com direito a bola na trave de Rodriguinho aos 46.

No apito final do péssimo Sálvio Spinola, o torcedor do Santos pode finalmente explodir de emoção e comemorar o merecido titulo do Paulistinha, seu décimo oitavo na história da competição regional.

Destaques:

No Santo André, aplausos para o conjunto, time muito bem montado pelo bom Sergio Soares, que não a toa já foi consultado por uma grande equipe do Brasil e pode mudar de ares no segundo semestre.

Branquinho, Bruno Cesar e Rodriguinho foram os destaques individuais durante a competição.

No Santos, o Técnico Dorival Junior teve méritos ao montar um time ofensivo e acreditar no potencial de Neymar, Ganso e André.

Embora tenha ido mal no jogo decisivo, por todo o  campeonato, o treinador Santista merece o reconhecimento.

Neymar foi o artilheiro da equipe e mostra que tem potencial para se tornar um dos grandes atacantes do futebol mundial.

Precisa em alguns momentos ser mais objetivo e parar de se jogar em quase todas as divididas.

Robinho veio para dar a experiência ao ataque Santista e desempenhou bem seu papel.

André começou o campeonato como o patinho feio entre os garotos, mas aos poucos foi impondo seu jogo e mostrou ser um atacante oportunista.

Arouca foi um verdadeiro monstro na marcação, com um time ofensivo como o do Santos conseguiu desempenhar com louvor o papel de marcador além de apoiar o ataque com muita qualidade.

Deixei Paulo Henrique Ganso por ultimo.

Se Robinho é um jogador consagrado e badalado, se Neymar mostrou que tem potencial para ser um craque no futuro, PH Ganso mostrou durante todo o campeonato e principalmente no jogo decisivo, que já é craque!

Jogador que aos 21 anos, se mostra maduro, com uma visão de jogo muito acima da média, com personalidade ao se recusar ser substituído por sentir, em campo, que estava sendo importante para equipe (quebrando o galho do treinador que corrigiu o erro).

Para mim, Paulo Henrique Ganso é o nome do campeonato Paulista.

Joga o futebol de antigamente!

Dunga, o nome que falta em sua lista é esse!

Paulo Henrique Ganso!

Veja este post também em meu novo site no KIGOL – kigol.com.br/mlima