O técnico Ricardo Gomes concedeu entrevista antes do jogo desta quarta-feira entre Universitário x São Paulo em Lima.

Acompanhe os principais trechos.

P – Faz diferença enfrentar um adversário que não tem tanto nome, nesta fase da Libertadores?

RG – Vamos enfrentar um bom time, um time organizado, com jogadores experientes que joga bem até o meio campo e é o time mais popular do Peru.

Temos que respeitá-los.

P – É correto dizer que começa uma nova competição?

RG –  Não tenho a menor duvida disso. No mata-mata temos sempre que respeitar o adversário, não é uma equipe que arrisca mas tem uma boa defesa e temos que ter cuidado.

P – A postura do time tem que mudar em relação ao que já foi feito nesta Libertadores?

RG – A postura dentro e fora de casa é a mesma! Claro que vamos ter um estádio lotado, com uma equipe apostando todas as suas fichas nesta primeira partida, temos que estar preparados. O São Paulo sempre com a mesma postura, tentando impor dificuldades ao adversário.

P – Qual a nota que da ao futebol apresentado pelo São Paulo neste ano?

RG – Deixo a nota para vocês. Só vou dar nota no final da Libertadores.

P – O time não esta conseguindo manter o mesmo ritmo nos dois tempos, o que fazer para corrigir isso?

RG – Não é fácil jogar uma partida inteira dominando o adversário. Tudo depende de quem enfrentamos, é claro que treinamos para isso, mas não é fácil, principalmente em uma Libertadores!

P – A responsabilidade aumenta por entrar neste confronto contra o Universitário como favorito?

RG – A responsabilidade é toda do São Paulo. Mesmo aqui no Peru nos dão todo o favoritismo. Sem duvida nenhuma a responsabilidade é nossa.

P – O Washington volta ao time?

RG – Nós temos que melhorar nosso rendimento em bolas paradas e agora estamos com um time alto, o Washington ficou de fora nos dois últimos jogos e agora será útil.

P – As reclamações ficaram para trás?

RG – Isso é normal, aqui a disciplina vem em primeiro lugar, se não tivesse tudo acertado ele não seria escalado.

P – Só esta mudança na equipe?

RG – Só essa, nos temos algumas variações no meio campo e no ataque e isso vai continuar dependendo do adversário.

P – Hoje podemos considerar esta a equipe titular do São Paulo?

RG – Nós começamos a temporada com alguns jogadores como titulares, mas houve queda de rendimento e tivemos que mudar, não tem como. O elenco é bom e nenhum jogador pode ficar numa zona de conforto. O jogador sabe que a concorrência é grande e isso é benéfico e será bom para o decorrer da temporada.

P – Seria uma surpresa o São Paulo ser eliminado nesta fase da competição?

RG – Concordo que o adversário não tem muita tradição, mas, temos que respeitar, temos que conseguir aumentar a vantagem, alem de poder decidir em casa, é obvio que ninguém pensa em ser eliminado já nas oitavas de final, seja com qualquer adversário, mesmo um adversário com pouca tradição.

P – Espera um Universitário mais agressivo, partindo para cima, apesar de ter sido até agora uma equipe mais defensiva?

RG – Acho que devem mudar por ser mata-mata e por jogar em casa devem fazer uma pressão no inicio do jogo. Apesar de  terem uma base defensiva vão tentar tirar nossa vantagem neste primeiro jogo.

Esta entrevista tembem está disponivem em meu novo blog no KIGOL – kigol.com.br/milma