O São Paulo começou sua preparação para o jogo contra o Santo André.

Os jogadores que atuaram na goleada contra o Botafogo, fizeram apenas exercícios no REFFIS e deram uma leve corrida em volta do campo 3.

Todos voltam a treinar com bola nesta terça-feira.

Ricardo Gomes ficou um bom tempo conversando e orientando o treinamento de Leo Lima e Washington, os dois cumpriram suspensão no fim de semana.

Resta saber se o treinador São Paulino vai promover a entrada dos dois ou apenas de Washington no jogo contra o Ramalhão.

E a dúvida é quem sacar para a volta do artilheiro da equipe.

Marlos deu boa movimentação e mais rapidez na ligação do meio com o ataque no jogo contra o Botafogo.

Fernandinho e Dagoberto jogaram mais abertos e também criaram dificuldades para o adversário.

Com Washington na equipe, o São Paulo ganha a referencia na área, mas, perde em velocidade.

Em minha opinião, o treinador deveria manter Marlos no meio ao lado de Jorge Wagner ou até mesmo Leo Lima e deixar Fernandinho na reserva.

Com isso, Rodrigo Souto e Hernanes cuidariam da marcação e Marlos e Jorge Wagner ou Leo Lima aproximar-se-iam de Dagoberto e Washington.

Vou aguardar o treinamento de hoje para tentar esclarecer estas duvidas na coletiva Ricardo Gomes no CCT.

A mala branca deve rolar solta na ultima rodada.

Santo André e São Caetano são os candidatos a receber um incentivo para complicarem a vida de São Paulo e Grêmio Prudente.

A questão das “malas” é tão antiga quanto o futebol.

Sempre existiu.

Obviamente este é um assunto evitado principalmente pelos cartolas, os jogadores admitem que ela exista, mas, curiosamente, nunca aconteceu com eles, apenas em outras equipes que não a deles.

Acho perfeitamente normal um incentivo extra para que uma equipe vença uma partida, o que não pode acontecer é pagar pela derrota, ai sim a mala é preta e condenável.

Não emiti opinião aqui no blog sobre a polêmica visita dos jogadores do Santos ao lar espírita que cuida de crianças com paralisia cerebral.

O assunto já foi esmiuçado por todas as mídias nos últimos dias.

Mas gostaria de dizer que achei absolutamente imbecil e reprovável a atitude daqueles que, supostamente por motivos religiosos, se recusaram a visitar e dar um pouco de alegria a crianças especiais.

Será que a seita, ou “religião” que seguem, permite que se “visite” a casa das “tias” ou o veto é apenas aos centros espíritas?

Com a palavra os “pastores” da bola.

Anúncios