O São Paulo chega à capital Paulista somente na manhã desta sexta-feira.

Os jogadores serão liberados e o horário da reapresentação no sábado ainda não foi definido pela comissão técnica.

Como a delegação seguiu para o México logo após o clássico contra o Corinthians, a tendência é de que os jogadores só se reapresentem na parte da tarde.

Somente após a reavaliação médica é que Ricardo Gomes vai saber com quantos titulares contará para o jogo de domingo contra o Botafogo no Morumbi.

Cicinho começou o tratamento na coxa direita logo que chegou ao hotel em Monterrey.

O jogador passará ainda nesta sexta-feira por um exame de ressonância magnética para saber o grau de sua lesão muscular.

Com as derrotas para Bragantino e Corinthians o São Paulo se vê obrigado a vencer os jogos contra o Botafogo e Santo André para não depender de outros resultados.

A declaração de Ricardo Teixeira sobre o Morumbi, não surpreendeu a cúpula São Paulina.

Internamente existe a certeza de que a declaração contra o estádio foi puramente política.

O principal mandatário da CBF apóia explicitamente Kleber Leite para presidente do clube dos 13 e não gostou de saber que Juvenal Juvêncio não só vai votar pela permanência de Fabio Koff como será o candidato a vice em sua chapa.

Há também desconfiança de que a postura de Marco Aurélio Cunha, superintendente e vereador da cidade de São Paulo, como co-autor do projeto que veta jogos na cidade após as 23h15min tenha contribuído para as críticas ao estádio.

O projeto feito pela GMP (e elogiado por Jerôme Valcke) continua sendo produzido e aprimorado e será entregue no dia 15 de Abril conforme já anunciado.

A briga pela abertura da Copa passou a ser 90% política e apenas 10% técnica.

Mesmo que o projeto a ser apresentado pela GMP seja totalmente aprovado e chancelado pela FIFA, a palavra final sempre será do comitê organizador do País sede.

E o comitê é presidido por Ricardo Teixeira, logo, se vencer a batalha técnica, o São Paulo terá pela frente uma batalha muito mais árdua na parte política.

A guerra de bastidores finalmente está vindo à tona, o jogo de interesses está aos poucos ficando claro para a opinião publica.

O São Paulo só terá alguma chance nesta batalha se tiver o apoio (moral) irrestrito dos governos municipal, estadual e federal.

Caso contrário, é melhor focar a reforma do Morumbi apenas para receber jogos da fase semifinal, pois a abertura será vista pelos Paulistas apenas pela televisão.

Anúncios