O São Paulo poderia estar tranqüilo no campeonato Paulista com sua classificação praticamente assegurada.

E este era o quadro duas rodadas atrás.

Mas o time de Ricardo Gomes acabou perdendo para Bragantino e Corinthians e vê agora sua posição ameaçada.

Já caiu para o quarto lugar e tem a obrigação de vencer seus dois últimos jogos, contra Botafogo (Morumbi) e Santo André (Piracicaba) para confirmar a vaga para a fase semifinal.

Situação parecida pode acontecer na Libertadores.

Hoje, o São Paulo lidera o grupo 2 com 9 pontos, 1 ponto a mais do que o Once Caldas e 4 de vantagem em relação aos Mexicanos.

Uma vitória praticamente garante a vaga para as oitavas de final, o empate tira o Monterrey da parada, deixando a disputa pelo primeiro lugar para o jogo do dia 21 de Abril, contra o Once Caldas no Morumbi.

Situação relativamente tranqüila e sob controle, exatamente como era no Paulistinha.

Mas uma derrota na quarta-feira pode mudar o quadro.

O Once Caldas jogando em casa contra o Nacional Paraguaio, não deve ter dificuldades para conseguir os três pontos e chegar aos 11 no grupo.

O São Paulo continuaria em segundo com 9 pontos, mas ressuscitaria o Monterrey que chegaria aos 8, um ponto a menos do que ele(exatamente como fez com o Corinthians no Paulistinha).

Este quadro deixaria o São Paulo com a obrigação de vencer o Once Caldas no Morumbi, já que os Mexicanos vão enfrentar o Nacional na ultima rodada e se der à lógica devem vencer chegando aos 11 pontos.

Assim, como disse no post sobre o clássico de domingo, este jogo de quarta-feira será um verdadeiro divisor de águas para o São Paulo.

Só que com proporções muito maiores do que o Paulistinha, já que a Libertadores é o principal torneio do Continente e a maior obsessão dos torcedores São Paulinos.

Uma eliminação ainda na primeira fase seria catastrófica para o clube.

Ricardo Gomes já começa a ter seu trabalho contestado pelos torcedores e por conselheiros.

Acho que cumprirá seu contrato até o fim (meio do ano), mas, se não passar da primeira fase na Libertadores, nem Maomé o segura no cargo.

Tudo vai depender do que acontecer na quarta-feira.

Ou o São Paulo muda sua postura em campo e passa a ser um time vibrante e combativo, ou a situação realmente poderá se complicar em um futuro muito próximo.

O jogo está na mesa.

Façam suas apostas.