Após dois meses e meio de ausência, o lateral-esquerdo Diogo procurou a diretoria do clube para acertar seu retorno às atividades no Centro de Treinamento tricolor. O contato foi feito um dia após a decisão que negou o pedido de liberação de seu vínculo com o São Paulo, decorrente de uma ação trabalhista movida pelo atleta.

A diretoria são-paulina, reiterando a intenção de continuar contando com o atleta, aproveitou o momento para propor e formalizar a extensão de seu contrato até 2015.

Diogo se reapresenta na próxima segunda-feira, dia 29 de março, no CT Barra Funda, onde retomará seu trabalho e reencontrará parte do elenco – um grupo estará no México para a disputa da Copa Libertadores.

Ao site oficial do clube, Diogo falou sobre os motivos que o levaram a mover a ação contra o clube e a se ausentar por tanto tempo, e externou toda a sua satisfação em estar de volta àquilo que chamou de “sua casa”.

Confira a entrevista:

1. Qual foi o motivo de sua saída do SPFC?

Era uma necessidade que eu estava passando. Na minha opinião não estava sendo valorizado, junto com isso recebi propostas da Itália e da Grécia que mexeram comigo e acarretou nisso tudo.

O mais importante agora é recuperar o tempo perdido, porque tenho convicção de que tenho muito a contribuir com o São Paulo, pois sempre me senti em casa.

2 . Se arrepende?

Não me arrependo. Me senti valorizado porque o clube, em momento algum, desistiu que eu voltasse a defendê-lo.

3. O que o fez procurar o São Paulo para voltar?

O que mais me motivou a procurar o clube e voltar foi que desde o primeiro momento em que começou a disputa jurídica, o SPFC sempre se colocou querendo meu retorno.

As declarações do Ricardo Gomes tiveram grande importância também, porque ele sempre disse para eu ter paciência, pois minha hora ia chegar e mesmo depois que eu saí, ele continuou me elogiando.

4. Como foi esse período longe do clube, sem saber ao certo sobre seu futuro?

Não foi normal. Normal é estar trabalhando. Passei momentos difíceis, lógico, na dúvida sobre o meu futuro. Sou jovem, muita coisa passa pela minha cabeça, mas fiz tudo de consciência limpa.

5. Lição?

Lição disso tudo é que eu não consigo viver sem o futebol. Senti muita falta de estar no dia a dia treinando e disputando um lugar no futebol.

6. Acompanhou o SPFC durante este período?

Direto, todos os dias, todos os jogos fiquei sabendo de tudo, da estreia do Fernandinho que marcou 4 gols, da chegada do Carleto, de quem fez gol, quem não fez. Enfim, acompanhei todos os dias do time.

7. O que você tem achado do time?

O SPFC sempre foi um time forte e experiente, ainda mais agora com a chegada desses reforços. Sou amigo de todos e fico até suspeito para falar. Não tenho dúvida que o SPFC tem um dos times mais fortes do Brasil e vai brigar por todos os títulos.

8. O que você projeta a partir deste momento?

Voltar a fazer o mesmo trabalho que vinha fazendo antes, porque estava sendo elogiado pelo Ricardo Gomes e ganhando espaço. Desta forma, recuperar o que perdi nesse tempo fora e ficar preparado para quando surgir uma oportunidade ir bem, porque sei que o que vale mesmo é dentro do campo e vou fazer de tudo para quando receber esta chance mostrar o porquê do SPFC continua apostando em mim.

9. Como espera encontrar o ambiente no clube?

Normal, até mesmo porque não interferi no dia a dia de ninguém, foi uma coisa pessoal. Tenho certeza que o ambiente no SPFC vai ser como sempre foi: o melhor possível. Sempre fui muito bem tratado por todos no clube, desde funcionários, comissão técnica e os jogadores, que são todos meus amigos.

10. A disputa na lateral esquerda aumentou com a chegada do Carleto. Como encara essa nova disputa?

Normal para mim. É até melhor porque se eu ganhar posição vou ficar bem. É assim mesmo, em time grande tem que haver disputa. Foi assim durante toda minha carreira e vai continuar assim porque quero estar sempre em times desse porte. A concorrência só faz a gente crescer.

11. Fica algum receio?

Um pouco de as pessoas pensarem algo errado de mim, porém, só eu sei o que passei.

O que posso dizer é que respeito a opinião de todos e vou mostrar aqui que tenho muito a contribuir. Posso garantir que o meu sonho sempre foi defender e vestir a camisa do SPFC e não é porque houve uma desavença que mudou. Meu sonho continua sendo ser titular do SPFC e vou mostrar que posso.

Sou jovem, mas tenho personalidade para assumir algumas posições. Pra jogar no SPFC, tem que ter personalidade.

12. Recado?

Respeito a opinião de todos, mas vou conquistar o respeito de todos em campo, com minha dedicação e trabalho pelas vitórias.

FONTE – SITE OFICIAL – JUCA PACHECO – ASSESSOR DE IMPRENSA DO SPFC

Anúncios