Nesta sexta-feira o técnico Ricardo Gomes define a equipe que entra em campo contra o Ituano em Itu.

A idéia é poupar a maioria dos jogadores que enfrentou o Monterrey pela Libertadores.

A imprensa não terá acesso á primeira meia hora de treinamento, quando o treinador deve escolher os titulares do final de semana.

O diretor de futebol João Paulo Jesus Lopes, negou que o São Paulo tenha acertado contrato com algum lateral esquerdo.

Negou antes do jogo de quarta e na apresentação de Cicinho ontem no CCT.

Mas dois nomes são muito comentados nos bastidores: Leonardo que está no Olimpiakos da Grécia e Carleto que atua na segunda divisão Espanhola.

Como Carleto tem Juan Figer como empresário e foi oferecido sem custos ao São Paulo bem ao gosto de seu presidente, é bem possível que seja contratado por empréstimo.

Não me lembro muito do futebol de Carleto, mas amigos Santistas me disseram que não é dos mais animadores.

O jogador de 20 anos, pertence ao Valencia mas foi emprestado ao Elche da segunda divisão Espanhola.

Não seria uma contratação para resolver o problema da lateral esquerda, mas sim dar mais opções ao treinador, já que pelo andar da carruagem, Diogo não deve voltar a jogar tão cedo pelo clube e Junior César está sem moral.

Quanto a Fernandão, o São Paulo pode emprestar mais de dois jogadores ao Goiás para acelerar a negociação.

Juvenal Juvêncio ficou irritado quando soube do valor pedido pelo clube esmeraldino (1.5 milhões de euros) para liberar Fernandão.

Daí sua declaração após o seminário da Copa em São Paulo, dizendo que não colocaria dinheiro na transação.

Mas na verdade, o São Paulo pode sim pagar alguma coisa para ter Fernandão, além é claro do empréstimo de alguns jogadores, mas nada próximo do que pediu o Goiás.

É uma negociação demorada e complicada, mas deve ser concluída.

Nenhum jogador inscrito na Libertadores deve ser incluído na negociação.

Pelo menos esta é a idéia da diretoria e comissão técnica.

Roger, Renan e Wellington são possíveis candidatos a jogar este ano em Goiânia.

O seminário sobre a Copa do Mundo 2014 acabou ontem em São Paulo.

Depois do ministro do Turismo Luis Barretto, foi a vez do Ministro dos Esportes Orlando Silva afirmar que a cidade de São Paulo e o estádio do Morumbi tem tudo para abrigarem a abertura da Copa do Mundo.

Antes que algum cão raivoso rosne para mim e tente me morder, reparem, foram dois ministros federais que falaram abertamente sobre a possibilidade da abertura da Copa acontecer em São Paulo, não este jornalista que vos escreve.

Isso obviamente se o São Paulo conseguir realizar todas as reformas mostradas no projeto apresentado á FIFA em Zurique, que agradou sim senhor aos comissários da entidade.

Aliás, isso é uma coisa tão óbvia, que me parece não precisar de bula para se fazer entender.

Anúncios