Ricardo Gomes vai manter a programação feita para o inicio da temporada.

5 jogadores serão poupados no jogo deste domingo contra o Sertãozinho em Ribeirão Preto.

André Dias, Jean, Richarlyson, Washington e Dagoberto.

O técnico não definiu o esquema tático, mas, pode começar a partida utilizando o 3-5-2.

O provável São Paulo para o jogo deste domingo contra o Sertãozinho:

Rogério Ceni, Xandão, Miranda e André Luiz, Adrian Gonzalez, Carlinhos Paraíba (Wellington), Hernanes, Leo Lima e Jorge Wagner, Marcelinho Paraíba e Roger (Marlos).

O São Paulo ainda não encontrou nenhuma empresa disposta a investir os 30 milhões de reais pretendidos pelo clube no patrocínio máster de sua camisa.

A expectativa é de que no mês de Fevereiro apareçam interessados.

Segundo Juvenal Juvêncio disse a revista Placar (Fevereiro), o clube pode jogar em Março com patrocínio único por partida, como fez o Corinthians no ano passado, até fechar com alguma empresa em definitivo.

O departamento de Marketing por sua vez, não gosta da idéia do patrocínio por partida.

A Emirates, que chegou a sondar o São Paulo no ano passado, é carta fora do baralho.

A empresa aérea vive uma enorme crise financeira e não pensa em investir no esporte em curto prazo.

A briga entre Oscar e São Paulo esta longe do fim.

Mesmo treinando no CCT por ordem da justiça, o garoto continua peitando a diretoria e diz que não joga mais pelo clube.

Se Oscar for escalado por Ricardo Gomes e se recusar a jogar, será multado pela diretoria como qualquer funcionário que se recusa a cumprir uma ordem de seu patrão.

Oscar tem certeza que vai conseguir se livrar do clube na justiça do trabalho, na audiência de reconciliação marcada para o final de Abril.

Por outro lado o clube acha o principal argumento usado pela defesa do jogador (coação da mãe para assinar a emancipação), absolutamente frágil e tem certeza que pela justiça do trabalho Oscar não sairá do São Paulo.

Se isso realmente acontecer, a tendência é de que o caso vá mesmo para na FIFA.

Acho que neste caso, melhor seria um acordo entre as partes para que o jogador fosse negociado.

O clube lucraria algum dinheiro e o jogador poderia seguir sua vida em outro clube.

Anúncios