Comunicado – Lucas Piazon

Nós gostaríamos de esclarecer que nosso filho, Lucas Piazon, tinha um contrato de formação com o São Paulo Futebol Clube com validade até o dia 31 de dezembro de 2009. Este contrato foi cumprido totalmente, tanto por parte do nosso filho, como pelo clube.

A medida adotada visa unicamente garantir ao Lucas o direito de decidir seu futuro com liberdade, o que lhe é garantido por Lei.

Durante o mês de dezembro de 2009, nós conversamos com o clube para que eles não registrassem os contratos assinados quando o Lucas chegou ao São Paulo há um ano e meio, ainda com 14 anos, posto que, com exceção do contrato de formação, os demais não possuem validade jurídica.

As negociações para formalização do contrato, no entanto, não chegaram a um acerto, e desta forma, para preservar e resguardar os direitos de nosso filho e para que o “contrato de gaveta” não fosse registrado, nós pedimos aos nossos advogados que, via judicial, comunicassem ao São Paulo nossa decisão. Não se trata de uma ação reclamatória trabalhista, mas tão somente de uma medida acautelatória do Lucas, pois ele está na iminência de completar 16 anos, o que vai ocorrer no próximo dia 20 de janeiro.

Nosso interesse como responsáveis pelo Lucas é que os direitos dele sejam preservados. Não temos nenhuma vontade de polemizar e tampouco de ocupar espaços na mídia com este assunto. Deixamos claro o respeito à entidade São Paulo Futebol Clube, mas acima de tudo somos pais e não podemos ignorar os direitos de nosso filho.

Acrescentamos que, nem nós, nem nosso filho concedeu qualquer entrevista para qualquer órgão de imprensa, razão pela qual não reconhecemos a veracidade de eventuais declarações a nós ou a nosso filho Lucas atribuídas anteriormente ao presente comunicado.

Atenciosamente,
Marizabel Piazon e Antônio Carlos Piazon.

Anúncios