Em primeiro lugar, gostaria de parabenizar a folha de São Paulo pelo furo de reportagem no caso do garoto Oscar.

Em segundo lugar, não posso comentar o assunto a fundo porque não tenho muitas informações, além da já publicada no jornal.

Tentei falar com os diretores do São Paulo, mas nenhum atendeu o celular, todos tocaram até cair à ligação.

O único que me atendeu apenas para dizer que não poderia falar no momento foi Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco.

A decisão da justiça foi em primeira instância e cabe recurso, sendo longo o caminho até um apontamento final no caso.

De qualquer forma, em minha opinião fica claro algumas coisas:

É obvio que Oscar agiu assim, influenciado por empresários, que certamente já tem propostas de clubes do exterior e estão pensando no lucro fácil que terão com o jogador.

Mesmo que o clube reverta à situação, com que clima o jovem talento ficará no São Paulo, depois de uma batalha jurídica, sendo que mal começou sua carreira profissional?

Se as pessoas que o cercam, conseguiram entrar na justiça, é porque alguém no clube comeu bola e não observaram a clausula contratual que foi desrespeitada e que deu a brecha sonhada por eles.

Será que a Copa do Mundo esta desviando tanto assim o foco dos dirigentes São Paulinos ao ponto de deixar escapar infantil e amadoristicamente uma de suas principais promessas?

São questões que a diretoria tricolor tem obrigação de esclarecer para seus torcedores.

Uma hora eles atenderão os celulares, senão para este jornalista que vos escreve, mas para outro companheiro de imprensa e talvez possam então vir a publico falar um pouco sobre este estranho e inexplicável fato envolvendo o garoto Oscar.

Até ontem um brilhante promessa, hoje, um anjo mau?

Anúncios