A novela São Paulo – Fernandão está longe de terminar.

Ao contrário do que andaram dizendo por ai, o jogador não acertou salários com o Tricolor, tão pouco conseguiu sua liberação do Goiás, clube ao qual está ligado por contrato até o final do ano que vem.

O Goiás não vai liberar o jogador sem que haja o pagamento da multa rescisória e o São Paulo, como é praxe, não vai cometer loucuras para conseguir sua contratação.

Fernandão terá que convencer os dirigentes Goianos a baixar consideravelmente a multa rescisória, para que possa sair do clube.

Embora publicamente o jogador já tenha demonstrado vontade de sair do Goiás, internamente os dirigentes alviverdes garantem que Fernandão deu sua palavra de que quer terminar sua carreira por lá.

Conversei com Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, sobre o aproveitamento dos garotos no Paulistinha do ano que vem.

Segundo o vice de futebol do São Paulo, Oscar, Wellington, Sergio Mota, e Diogo serão aproveitados.

Henrique deve disputar a copa São Paulo já que ainda tem 18 anos e não deve ser tão aproveitado no começo da temporada.

Rafinha esta voltando de um empréstimo do Paraná Clube, o meia interessa a Ponte Preta, mas o São Paulo não pretende emprestá-lo.

A idéia é dar uma chance ao jogador, e se não for bem, ai sim conversar com outras equipes.

Não caiu bem entre a diretoria, o novo visual adotado pelo jogador Richarlyson.

O meio campista resolveu colocar apliques na cabeça, deixando o cabelo comprido.

Não haverá represália na reapresentação dos atletas, já que esta não é a filosofia dos dirigentes São Paulinos.

Sorte de Richarlyson que o saudoso Telê Santana não é seu treinador.

Em 92, empolgado com a conquista da Libertadores, o atacante Macedo apareceu para o treino da manhã no cct, com um aplique de trancinhas na cabeça.

Assim que pisou no gramado, foi chamado de canto por Telê para uma conversinha particular.

O jogador não treinou, saiu cabisbaixo do gramado e no treino da tarde apareceu no cct com seu cabelo normal, sem as trancinhas.

Perguntado sobre o que aconteceu, Macedo respondeu que Telê o proibiu de treinar enquanto estivesse com aquele aplique na cabeça.

O atacante gastou 3 horas para colocar suas tranças e mais três para tirar.

“Futebol é coisa séria”, costumava resmungar o saudoso treinador.

Anúncios