Mascara do Jason

O Segundo BP Choque não vai permitir que o torcedor do São Paulo entre com a máscara do personagem Jason nos jogos do time.

Segundo o Tenente-Coronel Almir Ribeiro(que agora comanda o batalhão de choque nos estádios)o uso da mascara poderia dificultar a identificação dos torcedores em caso de delito.

O mesmo argumento é usado pela policia para impedir que torcedores entrem nos estádios com as caras pintadas.

A policia Paulista já proibiu a entrada nos estádios das famosas bandeiras, que alegram, por exemplo, as arquibancadas do Maracanã.

Fogo de artifício, fumaça colorida, nada mais pode ser visto nos estádios de São Paulo.

Concordo que algumas medidas deveriam mesmo ser tomadas para conter a violência.

Mas acho que a policia passou do ponto.

Hoje, as confusões acontecem quase em sua totalidade na periferia dos estádios.

No interior dos estádios, não há mais as batalhas de ontem.

Nos jogos chamados de torcida única, não vejo mal algum em liberar bandeiras, caras pintadas ou mascaras.

Quem vai a um estádio para aprontar, vai fazê-lo com ou sem mascara ou cara pintada.

A policia de São Paulo esta tentando transformar o torcedor de futebol (o verdadeiro não o vândalo)em um espectador de teatro ou de opera.

Alguns conceitos precisam ser revistos pelo senhor Almir Ribeiro e por quem comanda o futebol no estado de São Paulo.

Anúncios