guilhotina

Nos últimos anos o presidente do São Paulo Juvenal Juvêncio bancou quase sozinho a permanência de Muricy Ramalho no comando do São Paulo.

A cada eliminação na libertadores,o mundo caia na cabeça do presidente.

Eram vários diretores e conselheiros pedindo a cabeça de Muricy.

Juvenal sempre ponderou,pesou os prós e os contras e resolveu manter o treinador.

A decisão se mostrou sensata,o São Paulo conseguiu conquistar um inédito tricampeonato em sua história.

E não foi um tricampeonato qualquer,foi logo um tri Brasileiro.

Muricy Ramalho foi eleito melhor treinador do Brasil nos últimos 4 anos.

Nesta temporada entrou como franco favorito na Libertadores.

O São Paulo, campeão Brasileiro, vinha reforçado por 6 dos melhores jogadores do último campeonato.

Mas a temporada não começou como o São Paulo esperava.

O time fez uma campanha pífia no Paulistinha e acabou eliminado pelo Corinthians na semifinal.

Na Libertadores,mesmo mostrando um futebol abaixo da critica,conseguiu a quarta melhor campanha na primeira fase.

Passou direto pelas oitavas graças a gripe suína.

No Brasileiro o São Paulo tem seu pior começo desde 1998.

Os jogadores começaram a reclamar publicamente.

Mostra de que o ambiente interno não era dos melhores.

Muricy começou a mudar a escalação constantemente.

As improvisações,que antes eram apenas usadas em emergências,passaram a ser uma constante nas escalações do time.

Muricy começou a perder o comando do elenco.

Ao mesmo tempo,as cornetas saíram novamente do armário.

Todo o semestre e o futuro de Muricy estavam condicionados ao jogo contra o Cruzeiro.

A semana decisiva começou sem a presença do treinador,que ficou em casa se recuperando de uma gripe,que foi “adquirida” na festa que fez em Ibiúna no Sábado,após o jogo contra o Santo André.

O São Paulo entrou em campo contra o Cruzeiro como favorito.

Não Só por jogar em casa,mas principalmente pelo retrospecto da equipe mineira fora de casa.

Mas não foi isso vimos no Morumbi..

O São Paulo mostrou mais uma vez o futebol medíocre e previsível da temporada e acabou caindo em casa pela primeira vez na história da Libertadores em uma fase preliminar.

Ao termino da partida fiz questão de conversar com várias pessoas diretamente ligadas ao presidente Juvenal Juvêncio.

E ao contrário do que aconteceu nos últimos anos,TODOS os diretores ou conselheiros com que conversei foram unânimes em afirmar que querem não só a cabeça do treinador,como de outros membros da comissão técnica.

Muricy em sua entrevista coletiva após a partida fez questão de dizer que se sentir do presidente um clima diferente,vai ele mesmo pedir demissão.

Pela minha convivência no dia a dia no São Paulo,acho muito difícil a permanência de Muricy no tricolor.

Posso até estar errado,mas eu,Marcello Lima,ficarei muito surpreso se Muricy Ramalho continuar como treinador do São Paulo depois da quarta eliminação seguida na taça Libertadores.

Todos nós cumprimos ciclos em nossas vidas.

E o ciclo de Muricy Ramalho no São Paulo parece que chegou ao fim.

Pelo menos é assim que pensa TODA a cúpula tricolor neste momento.

Anúncios