300 o filme

A FIFA mal anunciou as 12 sedes do Brasil para a Copa do Mundo de 2014 e já começou o linchamento em cima do estádio do Morumbi.

Jornais publicam matérias dando conta de que o estádio do São Paulo foi eleito pela FIFA o pior dentre os postulantes a Copa.

De uma hora para outra, misteriosamente,o projeto de reforma do Morumbi encolhe de 63 para 43 mil lugares.

Todas as alterações feitas pelo clube no projeto original (este sim reprovado),são esquecidas de ser citadas na suposta entrevista dada por um dirigente da FIFA.

A guerra para tirar a copa do mundo do estádio do Morumbi será violenta.

O lobby para a construção de um novo estádio na cidade,fica cada vez mais forte.

Não há interesse na reforma do Morumbi.

Fica quase impossível lesar o bolso do cidadão e enriquecer ilicitamente,sem a construção de uma nova arena na cidade.

Estão querendo fazer em São Paulo o que fizeram com o Engenhão no Rio de Janeiro.

Aprovar um orçamento para erguer uma arena “moderna” e gastar 3 vezes mais,criar um elefante branco para o município e então arrendar a preço de banana para algum clube de futebol interessado em cuidar e gerir o negócio por 30 anos.

O enredo já é conhecido.

Mas os políticos deste país não ficam mais ruborizados quando o assunto é aumentar o patrimônio pessoal.

Vale a pena tentar repetir a história em São Paulo.

Se no Pan do Rio deu certo,porque não faze-lo mais uma vez?

A estratégia dos detratores do Morumbi é inteligente.

Postergar ao máximo o anuncio oficial dos estádios escolhidos para a Copa.

Com a incerteza no ar,sem duvida nenhuma a tarefa de encontrar parceiros para reformar o Morumbi fica mais complicada.

Afinal de contas,que grande empresa se arriscaria a investir milhões em um estádio,que não tem a certeza de ser o palco da cidade na Copa do Mundo?

E se na hora H, a FIFA muda de ideia e resolve escolher outro estádio para São Paulo que não o Morumbi?

Hoje o estádio do São Paulo tem o aval e a indicação oficial do Governo Estadual e da prefeitura.

Mas quem decide qual estádio será escolhido,é a FIFA e não o Governo ou a prefeitura de São Paulo.

A pergunta que fica é a seguinte:

Se a cidade de São Paulo não lutasse para ser o palco da abertura da Copa e não estivesse no centro das atenções,as contestações e criticas ao estadio do Morumbi seriam as mesmas?

O desespero para a construção de uma nova arena na cidade seria o mesmo?

Enfim,os Lobos estão famintos e não se contentam com um naco de carne.

Querem saciar sua fome com muito papel moeda.

O São Paulo hoje está como o Rei Leônidas de Esparta.

Lutando com 300 soldados contra o poderoso exército de Xerxes.

No filme do diretor Zack Snyder,Xerxes acaba levando a melhor contra o pequeno e valente exercito Espartano,na batalha conhecida como Thermopylar.

Resta saber se a vida vai imitar a arte na batalha do estádio da Copa em São Paulo.

Anúncios