Brasil 2014

Muita coisa vem sendo dita nos últimos dias sobre a confirmação ou não do estádio do Morumbi como palco da cidade de São Paulo para a Copa de 2014.
Conversei com algumas pessoas diretamente ligadas ao processo de escolha das cidades e estádios para a Copa no Brasil.
Conversei também com pessoas influentes no âmbito municipal e estadual da cidade de São Paulo, que trabalham diretamente na organização para a Copa de 2014.
Alem é claro de pessoas ligadas ao São Paulo Futebol Clube.
Com as informações obtidas, pude juntar o quebra-cabeça que permite mostrar ao leitor a história exata do que aconteceu nos últimos 50 dias com a candidatura do estádio do Morumbi para a copa do mundo no Brasil.
Vamos então aos fatos:
O VETO DA FIFA
Há 50 dias, uma pessoa do governo, que esta trabalhando no comitê organizador da Copa na cidade de São Paulo e com contato direto com os inspetores da FIFA, comunicou a diretoria do São Paulo que o projeto de reforma do estádio apresentado a entidade não seria aprovado.
O projeto apresentado pelo São Paulo passou aos inspetores da FIFA, a impressão de que seria feita apenas uma maquiagem no Estádio do Morumbi, e não uma reforma profunda de modernização, como foi feito, por exemplo, no estádio Olímpico de Berlim para a Copa de 2006.
Em um primeiro momento a noticia da reprovação do projeto do Morumbi, deixou a diretoria do São Paulo em polvorosa.
Mas o presidente Juvenal Juvêncio tem como ponto de honra, garantir a participação do Morumbi como o estádio da cidade de São Paulo na Copa de 2014.
O principal mandatário tricolor, assim que soube do veto ao projeto apresentado pelo clube, entrou em contato com Ricardo Teixeira.
O presidente da CBF se prontificou a consultar os inspetores da FIFA, para saber em quais pontos o projeto do São Paulo teria que ser modificado, não só para o Morumbi ser aprovado como também para ter chances de brigar pela abertura da Competição.
Dias depois o presidente do São Paulo recebeu a informação desejada.
A FIFA queria modificações e melhoras em vários pontos do projeto original.
Tais como:
O local de recepção dos convidados da entidade e dos profissionais de Imprensa.
A localização do setor de imprensa no estádio.
Melhorias no setor VIP.
Melhorias no setor de Zona Mista e de circulação das equipes e profissionais da FIFA.
A construção de um estacionamento com 1800 vagas para convidados da FIFA e profissionais de imprensa.
A cobertura parcial do estádio, não consta do caderno de encargos da entidade, mas foi recomendado.
Não há a necessidade da aproximação do anel inferior ao campo de jogo.
Com estes dados em mãos e com absoluto sigilo para não vazar a informação a imprensa, o São Paulo trabalhou no ultimo mês para deixar o projeto exatamente de acordo com o que quer e exige os inspetores da FIFA.
Novas empresas foram contatadas, principalmente aquelas que detêm a tecnologia para a cobertura de estádios.
O projeto de cobertura do estádio mostrado inicialmente pelo São Paulo, simplesmente não poderia ser realizado, pois as pilastras de sustentação da cobertura, feita nas calçadas ao redor do estádio, seriam irregulares, contra a lei.
A REFORMULAÇÃO DO PROJETO
O São Paulo correu contra o tempo, mas conseguiu chegar à semana do anuncio oficial da FIFA para as cidades sedes, com seu projeto remodelado e totalmente de acordo com o padrão de exigência da entidade máxima do futebol.
Não foi a toa que o presidente do clube, Juvenal Juvêncio convocou uma coletiva de imprensa nesta semana, para falar não só da festa do anuncio oficial da FIFA para as cidades sede preparada para este domingo no Morumbi, como também bancar a abertura da Copa de 2014 no estádio.
Esta é a verdadeira história da epopéia São Paulina para garantir o seu estádio na Copa do mundo de 2014.
Espero ter ajudado o amigo leitor a esclarecer todas as duvidas relativas à candidatura do Morumbi para ser o palco da maior cidade do País na Copa do Mundo do Brasil em 2014.

Anúncios