adriano

Lamentável a situação do atacante Adriano.

Enquanto a Inter o esperava em Milão, ele se acomodava na casa de familiares na favela da Chatuba,Rio de Janeiro, por 3 dias.

Ninguém sabia do paradeiro do atacante.

Virou noticia no mundo inteiro.

A Inter cansada das presepadas do jogador quer rescindir seu contrato que vai até meados do ano que vem.
José Mourinho treinador e confidente do atacante tenta contornar o caso enquanto morre de preocupação com a situação.

O procurador (e babá) de Adriano, Gilmar Rinaldi, esteve no Rio de Janeiro conversando com ele.

Gilmar proibiu Adriano de dar entrevistas. Confirmou a estadia na favela e garantiu que agora o jogador está hospedado na casa da mãe na Barra da Tijuca.

O procurador já avisou ao clube e a CBF que Adriano ficará mais uma semana no Brasil resolvendo problemas particulares.

Adriano é um típico caso de jogador que veio da favela e com seu talento conseguiu ficar rico rapidamente.
Mas lhe falta estrutura para lidar com a fama e principalmente com a delicada relação do dinheiro farto com o meio em que ainda vivem seus familiares e de onde saiu.

A impressão que me passa é de que seu único pilar era seu pai.

Era ele quem “domava” o ímpeto do filho e o mantinha na linha e na disciplina exigida de um atleta profissional.

Com o falecimento de seu progenitor, Adriano acabou se refugiando na bebida e nas farras para lidar com perda tão importante.

O Problema é que tal comportamento não combina com sua profissão.

Gilmar Rinaldi vem tentando fazer o possível e o impossível para manter o jogador na linha.

Adriano não tem condições psicológicas de ser o pilar de vários familiares, pelo menos neste momento de sua vida.

Para o bem do ser humano e não do atleta, seria prudente um tratamento psicológico e psiquiátrico enquanto ainda é tempo.

Adriano tem só 26 anos e uma vida inteira pela frente.

Seria uma pena desperdiçar um talento como o dele de forma tão precoce.

Boa sorte Adriano, e juízo nessa cabeça.

Anúncios