cinemaA G7 Cinema, única produtora brasileira de cinema a levar filmes sobre times de futebol para o circuito comercial de cinema e para rede nacional de TV, junto com o Departamento de Marketing do São Paulo, resolveram transformar essa receita de sucesso em filme. Nasce o filme “SOBERANO – SEIS VEZES SÃO PAULO”, um documentário longa-metragem que se propõe a contar a história dos seis títulos brasileiros conquistados pelo São Paulo sob o principal ponto de vista de sua existência: o do torcedor.

O time que comandará a produção do filme é formado por tricolores de carteirinha: na direção, Carlos Nader, cineasta, renomado e premiado no Brasil e no exterior por filmes como Pan Cinema Permanente. No roteiro, Maurício Arruda, atual diretor do Programa “Altas Horas”, da TV Globo, concorrente ao Oscar de 2001, com o roteiro do curta-metragem “Uma história de futebol”. Na direção musical, Nando Reis, ex-Titãs por 20 anos e hoje com sua carreira solo e uma outra banda – Os Infernais. Compôs, dentre tantos outros sucessos, a canção “É uma partida de futebol”, em parceria com Samuel Rosa, do Skank.

O torcedor são-paulino é quem conduzirá o filme; seus depoimentos contando passagens de vida tendo as conquistas do São Paulo como pano de fundo, é que irão nortear o enredo do filme. ”SOBERANO” também terá a participação de importantes personagens da história são-paulina – craques dentro e fora dos gramados – que contarão seus principais momentos nas seis conquistas nacionais.

Para que o torcedor possa interagir e participar ativamente da construção do filme, está disponibilizado o site www.filmesoberano.com.br, no qual o são-paulino poderá enviar seus depoimentos, seus vídeos próprios e votar na escolha da capa/pôster do filme, dentre as cinco sugestões de capa. Como se vê, o são-paulino não será apenas um simples espectador do filme, e

sim terá um poder determinante na sua construção. Os autores dos melhores depoimentos enviados ao site www.filmesoberano.com.br serão convidados para contar suas histórias em frente às

câmeras. As melhores imagens enviadas para o site farão parte do filme e o pôster será escolhido exclusivamente através da votação da torcida.

Para o Vice-Presidente de Comunicação e Marketing, Julio Casares, “este é um projeto inédito na vida do São Paulo e do futebol brasileiro, por ser um longa-metragem que ressalta o clube com as maiores conquistas do Brasil nas últimas décadas e, absolutamente soberano na história do Campeonato Brasileiro”.

A produtora do filme “SOBERANO”, a G7 Cinema, tem experiência de sobra na produção de documentários sobre futebol. São dela os mais recentes e exitosos filmes sobre futebol lançados em circuito comercial de cinema: “Inacreditável – a Batalha dos Aflitos” e “Gigante – como o Inter conquistou o mundo”, este último o segundo documentário mais visto no Brasil em 2007 e recordista histórico de venda de DVDs no sul do país, com mais de 50.000 cópias.

A previsão de lançamento de “SOBERANO” nos cinemas é em setembro de 2009. “SOBERANO” é um produto oficial licenciado do São Paulo Futebol Clube, que receberá parte da receita do filme.

Equipe técnica

Todas as etapas de elaboração do filme “SOBERANO” contarão com a participação de um time de cerca de 30 pessoas; como não poderia deixar de ser, toda a equipe artística, musical e de criação será formada por são-paulinos; afinal, apenas torcedores poderão cuidar como se deve de um filme feito com, sobre e para torcedores. Dentre os integrantes, podemos destacar:

Carlos Nader – Direção

Sua primeira lembrança de ser são-paulino vem da mãe, que lhe ensinou, juntamente com o Pai Nosso, um mantra que lhe soava igualmente sagrado: “Poy, Savério e Mauro; Bauer, Rui e Noronha; Friaça, Ponce de León, Leônidas, Remo e Teixeirinha”. A escalação do campeão paulista de 1949 grudou na sua memória e nunca mais saiu; nem mesmo quando deixou de freqüentar ao lado do pai e dos irmãos, as cadeiras cativas do Morumbi e migrou para o anel superior das arquibancadas do Cícero Pompeu de Toledo. Nader pegava o ônibus da CMTC que saía da Praça das Bandeiras junto de outros tantos torcedores ensandecidos e ia gritando e cantando até o Morumbi.

“Minha memória visual sempre foi muito boa; lembro desde pequeno de fatos marcantes da história do São Paulo através de imagens e fotos. Pra mim a mais marcante aconteceu em 1977, a cena em que o goleiro Waldir Peres sai do seu gol em direção ao meio de campo para abraçar os seus companheiros de time depois que o jogador do Atlético-MG chuta o pênalti para fora. Era apenas o primeiro título nacional do Tricolor, viriam mais cinco….mas para um adolescente fanático de 13 anos foi a glória”, relembra Nader.

Sobre a condução do filme, Carlos Nader aposta nas histórias que serão contadas pelos torcedores. “O site será fundamental para captarmos bons personagens que consigam contar na frente das câmeras, seus grandes momentos e emoções; com as lindas histórias que aparecerão construiremos o filme”, afirmou.

Biografia – Carlos Nader é um ensaísta audiovisual, especialista em linguagens que vão do documentário clássico à videoarte. Seus vídeos foram exibidos em centros culturais de mais de 20 países (como o MOMA de NY, o Stedelijk  de Amsterdã e a Tate Modern de Londres) e veiculados em mais de uma dezena dos principais canais de TV internacionais (como o inglês Channel 4 e o Franco-Alemão ARTE). Entre os prêmios que recebeu estão o Mondial de la Vídeo de Bruxelles (1993), o Internationaler Videokunstpreis da ZKM (1998) na Alemanha, o Grande Prêmio de Cinema Brasil de Melhor Vídeo (2000), o de Melhor Documentário Brasileiro no Festival É Tudo Verdade e o Prêmio Especial do Júri da APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) (2008).

Maurício Arruda – Roteiro

Mauricio Arruda se orgulha de ter transmitido para suas filhas uma herança da família: torcer para o São Paulo (“e para o Rogério Ceni”, elas acrescentam). É tricolor de sangue e também de carteirinha – uma velha carteirinha que ainda guarda desde a época em que ia ao Morumbi com a torcida organizada. Lembra-se como se fosse hoje, da estréia de Pedro Rocha com a camisa tricolor. “Ele era a personificação da raça e da qualidade”.

Assim como Carlos Nader, Arruda relembra a final de 1977 como um momento especial, mas não se esquece e valoriza muito cada momento dos tantos outros títulos que o Tricolor do Morumbi viria a conquistar. “O Brasileiro de 2006, por exemplo, teve um momento emblemático: o jogo contra o Cruzeiro, depois da eliminação na Taça Libertadores da América. O São Paulo perdia por 2 x 0 e o maior ídolo do time, o goleiro Rogério Ceni, estava sendo cobrado; para encurtar a história, ele pega um pênalti, empata o jogo marcando duas vezes e quebra o recorde mundial de gols feitos por um goleiro…foi incrível”, afirma.

Para Arruda, o roteiro do filme será desenvolvido totalmente a partir dos depoimentos dos são-paulinos. “Quem melhor do que o torcedor que vivenciou as emoções para conduzir um filme feito para ele? Serão suas sensações, seus dramas, suas histórias que nortearão o destino do filme”, aposta.

Biografia – Maurício Arruda disputou o Oscar de 2001 com o roteiro do curta-metragem “Uma História de Futebol”. Também escreveu novelas na TV Globo, como “Quatro por Quatro” e “Vira Lata”; as séries do Fantástico “Retrato Falado” e “Copas de Mel”; e os longas-metragens “Contador de Histórias” e “Amanhã Nunca Mais” com estréias previstas para 2009. Como diretor de televisão é responsável por programas como “Altas Horas”, da TV Globo, “Fanzine”, da TV Cultura e “Copa na Mesa”, da MTV.

Nando Reis – Direção Musical

Antes mesmo de nascer, Nando Reis já sabia qual seria seu time. Na maternidade, veio a confirmação. Com a pele muito branca, os olhos muito escuros e os poucos cabelos muito vermelhos, ele era geneticamente tricolor. São-paulino como seus irmãos, seu pai, seu tio e seu avô, passou a frequentar assiduamente o Morumbi. Uma camisa com o número 2 às costas revelava sua admiração por jogadores temperamentais. Depois de Pablo Forlán, Serginho Chulapa se tornou seu ídolo na adolescência. Chegou a fundar sua própria torcida uniformizada, a LSP (Loucura São-

paulina). Orgulha-se de ter povoado o mundo com cinco filhos, quatro deles são-paulinos, que garantirão uma nova geração de torcedores – que ele espera, não venha tão breve.

“Para mim o fato mais marcante envolvendo as conquistas nacionais do Tricolor, foi a final contra o Guarani, em 1986. Não pude gritar em casa com o gol do Careca, que levou o jogo à decisão por pênaltis porque estava com meu filho recém nascido em casa e dormindo no quarto. Foi uma explosão contida”, relembra

O desafio de ser o diretor musical do filme instiga Nando Reis. “Será algo inédito e emocionante na minha vida; não farei nada incidental, vou usar a meu favor minha paixão pelo São Paulo. Meu objetivo será reproduzir em forma de música a mesma emoção que o jogador passa do campo para a arquibancada”, afirma Nando Reis.

Biografia – Nando Reis é músico e durante 20 anos fez parte dos Titãs. Hoje em dia tem sua carreira solo e uma outra banda – Os Infernais. Entre incontáveis músicas gravadas por inúmeros artistas,

cabe aqui citar uma em especial: “É uma partida de futebol”, parceria sua com Samuel Rosa, do Skank; a canção foi escolhida para fazer parte da trilha oficial da Copa do Mundo da França, em 1998.

Produtor: Gustavo Ioschpe

Produção e Distribuição: G7 Cinema

Site oficial do filme: www.filmesoberano.com.br

 FONTE E TEXTO: Cinthia Savino – SPFC

Anúncios