taca-libertadores-2O São Paulo mostrou nesta quinta-feira que não veio a Libertadores apenas para participar.

Depois de um empate em casa na Estréia contra o Medelin, as bruxas andaram soltas pelos lados do Morumbi.

Alguns torcedores, simpatizantes e indefinidos, só para variar, crucificaram Muricy Ramalho.

Para eles o treinador é a causa de todos os males do tricolor na libertadores.

Na segunda-feira o elenco fez uma reunião no cct, onde foi discutida a atitude da equipe neste ano.

Chegaram a conclusão de que o time não estava com a mesma vontade e pegada do final de 2008.

Foi com esse espírito de “faca nos dentes” que o time viajou para a Colômbia para enfrentar o America em Cali.

Muricy, em minha opinião escalou a equipe corretamente, mantendo o esquema tradicional (3-5-2), mas mudando uma peça fundamental: Junior César na ala esquerda com Jorge Wagner atuando pelo meio.

Hugo, até então o intocável do time, finalmente foi para o banco de reservas.

O resultado desta mudança todos sabem.

O São Paulo se impôs durante a partida e venceu com autoridade seu primeiro jogo na Colômbia em taças Libertadores.

Washington (o caneleiro para alguns torcedores) foi o nome do jogo marcando 2 dos 3 gols são Paulinos.

Vitória que põem o Tricolor na liderança do grupo 4 ao lado do Defensor do Uruguai com 4 pontos ganhos.

E calam pelo menos momentaneamente, as cornetas e trombones.

Pois com o time líder em seu grupo da Libertadores,fica difícil para os detratores criticarem o técnico ou algum jogador.

Pelo menos por uma rodada, Muricy Ramalho e seus jogadores terão paz para trabalhar.

Como diria o professor Vanderlei Luxemburgo: ”O São Paulo é um exemplo a ser seguido no projeto da Libertadores”.

Anúncios