esquema-taticoMuricy Ramalho vai renovar seu contrato com o São Paulo por mais um ano.

Caso nada de extraordinário aconteça ele completara cinco anos a frente do Tricolor.

Sem duvida nenhuma um espanto para o futebol Brasileiro, onde o treinador mal consegue completar um campeonato a frente de um clube.

Muricy será também o treinador com que mais tempo convivi na minha carreira de Jornalista.

Antes dele tive o prazer de conviver diariamente por 3 anos com Luis Felipe Scolari, quando era setorista do Palmeiras.

Como estou em férias, tenho um pouco mais de tempo para pensar nas coisas em que vivi até agora nos meus 15 anos de Jovem Pan e não só no presente, que tanto nos cobra,seja profissionalmente, seja em nossas vidas.

Comecei a acompanhar o dia a dia de um clube como setorista da Jovem Pan em 1997.

O Palmeiras foi meu primeiro grande desafio na carreira.

 Por 5 anos e 4 meses acompanhei e informei sobre as coisas do Alviverde.

De 1997 até Abril de 2002.

Pude acompanhar o final da chamada “era Parmalat” e toda a saga de Felipão.

Antes de Felipão chegar ao Palmeiras no meio de 97, o time foi dirigido Por Marcio Araujo e em uma partida Por Sebastião Lapola que era Diretor de Futebol e Treinador nas horas vagas.

Luis Felipe Scolari depois de conquistar vários títulos, dentre eles o  mais importante da História do Palmeiras (Libertadores 99)deixou o clube no meio do ano de 2000 após perder nos pênaltis o  bi-campeonato Sul Americano para o Boca Juniors.

Trabalhei com Celso Roth, que levou o time até a semifinal da Libertadores de 2001.

Marco Aurélio Moreira também treinou o Palmeiras neste período.

Tive pouco contato diário com Vanderlei Luxemburgo, que chegou no começo de 2002.

Em Abril de 2002, deixei o Palmeiras para enfrentar mais um grande desafio em minha carreira: Cobrir o dia a dia de outro Grande, o São Paulo.

Literalmente pulei o muro.

Quando cheguei ao São Paulo o técnico era Nelsinho Batista.

Convivi pouco com ele, pois a então oposição venceu as eleições no São Paulo após 12 anos longe do poder e Marcelo Portugal Gouvea o presidente eleito, avisou que iria mudar tudo no clube, inclusive o treinador.

Foi contratado para o lugar de Nelsinho Batista, o badalado Osvaldo Oliveira.

Osvaldo venceu logo de cara o super campeonato Paulista, mas não conseguiu o sucesso que imaginava a frente do São Paulo e acabou sendo o único técnico demitido pelo clube desde que a atual gestão assumiu.

O preparador de goleiros Roberto Rojas foi promovido a treinador tendo Milton Cruz como seu conselheiro e fiel escudeiro.

A dupla foi bem e conseguiu classificar o São Paulo para a taça Libertadores, depois de 10 anos fora da competição.

Cuca assumiu o time em 2004, credenciado pelo belo campeonato Brasileiro que fez no ano anterior com a equipe do Goiás.

Fez um bom trabalho em minha opinião.

Quase levou o time a final da Libertadores,sendo derrotado na semi pelo futuro campeão,a zebra Colombiana chamada Once Caldas.

Cuca deixou se levar pela insegurança e acabou saindo do clube após uma derrota para o Coritiba no campeonato Brasileiro.

Foi então a vez do rígido e disciplinador Emerson Leão assumir o Tricolor e classificar a equipe para a libertadores de 2005.

Com seu tradicional temperamento difícil, travou um duelo surdo com Falcão o craque do Futsal que tentava pela ultima vez ser jogador de futebol de campo.

Leão venceu o braço de ferro com Falcão. Venceu  também um campeonato Paulista e deixou o São Paulo na penúltima partida da fase de grupos da Libertadores para ajudar um amigo em dificuldades no Japão.

Milton Cruz dirigiu a equipe no empate em 1 a 1 com a Universidad do Chile em Santiago.

Paulo Autuori assumiu o São Paulo com a fama de ter sido campeão da libertadores com o Cruzeiro.

Não decepcionou, muito pelo contrario.

Conseguiu não só vencer a Libertadores como  de quebra venceu o Mundial de clubes no Japão no Épico jogo contra o Liverpool.

Japão que tirou o treinador em 2006 do São Paulo.

Foi ai que começou a era Muricy Ramalho.

A história a partir de 2006 é conhecida por todos e ainda continua a ser escrita por ele e por todos os São Paulinos.

Este foi um pequeno resumo sobre os treinadores com que convivi na minha ainda curta carreira como Jornalista Esportivo.

Aos poucos vou escrever algumas historias vivida por mim ao longo destes anos com todos os nomes citados.

Posso dizer que me dei bem com todos eles.

Alguns mais, outros menos, mas sempre com respeito e profissionalismo.

Antes que você me pergunte, não vou escrever sobre qual considero o melhor treinador.

Posso dizer que todos eles têm muitas virtudes e muitos defeitos, mas todos de certa forma já marcaram seus nomes no futebol.

Desculpe se me alonguei demais, mas realmente este foi um pequeno resumo sobre os treinadores que tive o prazer de conviver até agora em minha vida.

 

Anúncios