brasil-de-pelotasLuto no futebol: acidente vitima Brasil de Pelotas

O futebol brasileiro está de luto. Um acidente no final da noite desta quinta-feira tirou a vida de 2 atletas e do preparador de goleiros do Brasil de Pelotas, equipe do interior do Rio Grande do Sul. O time voltava de um amistoso na cidade de Vale do Sol, quando o motorista do ônibus perdeu o controle do veículo ao fazer uma curva, despencando em um barranco de mais de 40 metros.
 
O goleiro Danrlei, titular em muitas conquistas do Grêmio, foi um dos que escapou com vida.
 
Perderam a vida o atacante Claudio Millar-ídolo da equipe gaúcha-, o zagueiro Régis Gouveia e o preparador de goleiros Giovani Guimarães.
 
Na história algumas das maiores tragédias envolvendo times inteiros de futebol foram em desastres aéreos.
 
Torcedores de Torino, da Itália, e Manchester United, da Inglaterra, passaram pela mesma dor que os torcedores gaúchos passam neste momento.
 
Em Maio de 1949 o Torino, então líder do campeonato italiano, voltava de um amistoso em Portugal, onde enfrentara o Benfica, quando seu avião, sob forte nevoeiro, chocou-se contra uma das torres da Basílica de Turim de Superga. Não houve sobreviventes. A liga italiana declarou o Torino campeão, mas seus dirigentes recusaram o título, preferindo disputá-lo em campo. Os juvenis da equipe grená assumiram a difícil tarefa de substituir seus ídolos, que representavam a base da Squadra Azurra. Em solidariedade todas as demais equipes também mandaram seus juvenis a campo, pelas quatro rodadas que ainda restavam do Cálcio. Em campo o Torino ganhou o Scudetto e pôde homenagear seus atletas e dirigentes.
 
Em Fevereiro de 1958, após empate por 3×3 contra o Estrela Vermelha, em Belgrado, que garantira a passagem às semifinais da Liga dos Campeões, o time do Manchester United, da Inglaterra, voltava para casa, quando o avião que os transportava pegou fogo e caiu na Alemanha, próximo a Munique. Foram 28 mortos entre passageiros e a população do local. Bob Charlton, um dos sobreviventes, comandaria, anos depois, a Inglaterra em sua única conquista de Copa do Mundo.
 
Outros desastres marcaram o futebol mundial.
 
O momento agora é de chorar a perda de seus ídolos, mas acima de tudo de construir uma nova história em homenagem à luta com que dedicaram parte de suas vidas em defesa do manto xavante, que tantos amam.
 
Minhas condolências às famílias das vítimas e a toda família Xavante.
 
O coração dói de saudade, mas o coração do torcedor de Pelotas continuará batendo forte. 

 

Carlos Fabiano de Souza

Anúncios