reforcos-do-spfcA equipe do São Paulo voltou das férias nesta segunda-feira. Os jogadores ficarão concentrados no CCT até a estréia no Paulistinha dia 21 contra o Ituano no Morumbi.

Os seis reforços foram apresentados pela diretoria e já vestiram as camisas com os respectivos números que usarão nesta temporada (Washington #9, Arouca#11, Wagner Diniz#2, Junior Cesar#6, Eduardo Costa#8, Renato Silva #14).

Eduardo Costa, Renato Silva Washington conversaram hoje com a imprensa, amanhã será a vez de Arouca, Wagner Diniz e Junior Cesar.

Acompanhe um resumo do que disseram os três reforços que foram entrevistados nesta segunda-feira:

EDUARDO COSTA:

P – Você acha que tem um futebol mais de pegada mais com a cara da Libertadores e é assim que o torcedor vai se identificar com você?

R – Acho que tenho um futebol competitivo é assim que procuro ser, é cedo para dizer se a torcida vai gostar ou não, isso se conquista com o tempo e com o trabalho no dia a dia.

O que eu posso afirmar é que eu vou dar o Maximo para conseguir as vitorias para o São Paulo.

P – Você se importa de começar o ano na reserva já que Jean e Hernanes são os titulares do meio campo?

R – Qualquer atleta que chega a um novo clube tem que respeitar os que já estão na equipe, o Jean e o Hernanes fizeram uma grande temporada e foram tricampeões Brasileiros, então é normal ter que correr atrás.

Todo jogador quer jogar e contribuir com a equipe e eu não sou diferente, mas estou aqui para ajudar e as coisas acontecem naturalmente.

RENATO SILVA:

P – Jogar no futebol Paulista enriquece o currículo de um jogador?

R – É o campeonato mais disputado do Brasil, conseguir fazer um Paulista sem sofrer muitos gols seria importante para mim e para os jogadores do São Paulo.

No ano passado mesmo com muitos problemas o Botafogo foi a terceira zaga menos vazada do Brasileiro só perdendo para o Grêmio e São Paulo, então eu chego com a vontade de manter o mesmo nível do ano passado.

P – O Juninho veio do Botafogo e não foi bem, você acha que existe alguma dificuldade de adaptação no estilo de jogo entre o  Rio e São Paulo?

R – Acho que não, isso é momento e só ele poderia responder esta questão, eu tive um péssimo 2007 e fui bem em 2008.Hoje estou mais maduro e não vejo dificuldade de adaptação,até porque conheço todos os jogadores do elenco.

P – O São Paulo nos últimos anos jogou com três zagueiros, te agrada este tipo de formação?

R – Para mim é bom, eu sou um jogador que joga pelo lado direito da defesa e nesta formação não preciso me preocupar tanto com a marcação nos outros setores já que sempre tem alguém na sobra. Eu gosto desta formação.

 

WASHINGTON:

P – Você tinha proposta do São Paulo, do Grêmio e do Fluminense, por que sua escolha pelo São Paulo?

R – Pela estrutura que o São Paulo tem, pelo que oferece ao jogador, pela história, por ser o atual campeão, quando o São Paulo faz uma oferta fica difícil o jogador recusar.

Tenho certeza que serei feliz e vou usar essa estrutura para vencer.

P – O São Paulo por se apresentar por ultimo para a pré-temporada pode começar o campeonato Paulista em desvantagem?

R – Sem duvida as equipes que começaram antes vão sair na frente, vão ter uma condição física melhor, mas nosso planejamento esta muito bem feito e no momento certo nós estaremos na melhor condição física e ai nós vamos lutar pelos títulos.

P – O fato de você chegar como artilheiro do Brasileirão aumenta sua responsabilidade para marcar gols pelo São Paulo?

R – A responsabilidade é grande em qualquer situação, e eu estou preparado para isso. Quando você trás um artilheiro para um time campeão forma uma boa combinação,um combinação quase perfeita.Para ficar perfeita tem que acontecer os gols e os títulos.

P  – Qual a influencia que Rogério teve em sua vinda para o São Paulo?

R – O que mais me influenciou foi a estrutura maravilhosa que o clube oferece ao jogador, eu pensei na qualidade do profissional, eu quero melhorar minha qualidade dentro de campo. Quero aproveitar essa estrutura e esse time campeão,além da perspectiva de títulos.É claro que minha amizade com o Rogério e as conversas que tivemos foram muito importantes também.

P – Você, Arouca e Junior Cesar estão com a libertadores entalada na garganta?

R – É mais ou menos isso sim, até hoje é difícil assimilar aquela derrota!Ainda mais depois de ter tirado dois favoritos como São Paulo e Boca.

Aquilo ficou na memória e nós vamos usar como experiência para neste ano não deixar o titulo escapar!

Anúncios