crianca-sao-paulinaEntrevistei pela Jovem Pan,o técnico Marcos Vizolli  da Base do São Paulo e responsável pela equipe que vai disputar a Copa São Paulo em Janeiro.

Vou passar para vocês os principais tópicos da entrevista.

A EQUIPE PARA A COMPETIÇÃO:

Vizzoli  não terá uma equipe entrosada para a Copa São Paulo (Que agora é sub18). Ele vem treinando forte com apenas 10 atletas. Outros vinte jogadores subirão do Juvenil para formar o elenco na competição.

Quatro jogadores que fizeram parte do elenco profissional neste ano disputarão a Copa São Paulo: Leonardo (Goleiro), Wellington(volante), Oscar(meia-atacante) e Roni (atacante).

O São Paulo disputa a primeira fase em Rio Claro e vai enfrentar o Ceará, o Juventus-AC e o Rio Claro.

OSCAR:

Sem duvida nenhuma todas as atenções estarão voltadas ao meia-atacante Oscar de 17 anos. Ele é considerado por todos no Morumbi como o melhor jogador das categorias de Base e já teve algumas chances com Muricy no time de cima.

Vizolli  pede para todos (Diretoria, torcedores e imprensa) terem calma ao julgar o menino. O técnico lembra que os quatro jogadores que estavam no profissional, estão completamente sem ritmo de jogo e podem demorar um pouco para voltar ao ritmo de competição.

E faz questão de ressaltar que ele ainda é um menino.

Sobre o estilo de jogo de Oscar, Vizolli acha que ele tem uma mistura de Kaká com Pita.

MURICY E A BASE:

Muricy sempre pede que os técnicos da base não utilizem o esquema com 3 zagueiros.

Ele quer que os jogadores aprendam a jogar mais soltos, tenham mais agressividade.

Por isso na base só é utilizado o 4-4-2  e o 4-3-3.

BRASILEIRO SUB -20:

O Grêmio conquistou recentemente o campeonato Brasileiro sub-20.

Mais uma vez o São Paulo não disputou a competição.

Segundo Marcos Vizzoli, o tricolor não participou da competição, simplesmente por que não tem na base uma equipe sub-20.

No São Paulo os jogadores com 19 e 20 anos ou já foram promovidos para o profissional ou estão emprestados a outras equipes.

Ou seja, na base do São Paulo o trabalho pesado, de revelação, é feito até o sub-18.

SERGIO MOTA:

Alguns jogadores despontam com tudo na base, jogam tanto que  obrigatoriamente  tem que subir para o profissional.

Ai o que vale é a personalidade para mostrar o mesmo futebol no meio de atletas formados e experientes.

Alguns não sentem a pressão e “explodem” rapidamente.

Outros precisam de mais tempo para desabrochar.

Para Vizolli, Sergio Mota se encaixa no segundo exemplo.

Era um jogador de extremo talento na base, mas sumiu ao subir para o profissional.

O treinador acha que é necessário emprestar o meio campista para outra equipe, para que ele adquira experiência e confiança.

Da mesma forma que foi feito com Hernanes e Jean.

Assim, Vizolli aposta que Sergio Mota voltaria maduro e poderia finalmente ser o jogador que todos esperam.

 

Estes foram os principais tópicos da entrevista que fiz com Marcos Vizolli.

Um Abraço a todos.

Marcello Lima.

Anúncios