bau-brancoMala Branca no futebol é igual ao ar que se respira.

Todos sabem que existe, mas ninguém vê.

Na reta final do campeonato Brasileiro, virou uma coisa absolutamente normal  falar sobre a tal mala Branca.

Publicamente, nenhum dirigente ou jogador, admite que ela exista.

Mas nos bastidores o papo é um pouco diferente.

 A mala Branca é tratada com naturalidade por todos e muito bem vinda principalmente nas equipes que tem alguma dificuldade financeira.

A mala Branca, nada mais é que o popular bicho, pago aos jogadores depois de um bom resultado.

A diferença é que esse bicho é pago por uma terceira equipe, interessada no resultado da partida, ou seja, a vitória ou dependendo do caso até mesmo o empate.

A intenção é sempre atrapalhar um rival direto, ”turbinando “a equipe que jogará contra ele, com um dinheirinho extra.

Nesta rodada de fim de semana, alguns valores já rolam a boca pequena.

O Grêmio,Rival direto do São Paulo pela luta do titulo,estaria disposto a enviar 150 mil reais para os jogadores do Vasco dividirem,em caso de empate ou vitória.

Parece que a diretoria do São Paulo ficou irritada com as várias malas brancas oferecidas a seus adversários nos últimos jogos e resolveu entrar na brincadeira.

Pelo que pude apurar, o tricolor estaria disposto a dar um bicho extra de 1 milhão de reais aos jogadores do Vitória, em caso de empate ou vitória contra o Grêmio neste domingo no Barradão.

Esse valor, comparado ao que os rivais vêm oferecendo, me lembra aquelas brincadeiras de criança em que o primo pobre está apostando corrida com seu carrinho de rolimã e o primo rico chega de Kart para correr contra ele.

Não sabe brincar é?

Claro que este assunto de mala Branca não existe no futebol, é como o ar que se respira lembra?

Mas admitindo ser verdade, temos que concordar que o São Paulo criou outra categoria nas premiações alheias, deixou a mala de lado e instituiu o Baú Branco!

 

Anúncios